Repete-se este ano, pela segunda vez, o Festival Internacional In Spiritum, no Porto, com a estreia da obra vencedora do Prémio Joaquim Simões da Hora.

O Festival In Spiritum propõe aos participantes apreciar música em espaços emblemáticos da cidade do Porto, procurando favorecer, nas palavras do seu director artístico, Marco Brescia, a introspecção e contemplação. Em 2014 o festival estendeu-se por seis concertos e passou pela Casa do Infante, o Claustro do Mosteiro de São Bento, a Igreja de São Lourenço, a Igreja de São Bento da Vitória, a Igreja de Santa Clara e a Sé do Porto. No presente ano decorre entre 30 de Abril e 3 de Maio e a programação será anunciada em breve.

A grande novidade deste ano foi a criação do Concurso de Composição Festival In Spiritum / Prémio Joaquim Simões da Hora, em co-produção com a Artway, sob direcção de Tiago Hora e Vanessa Pires. O concurso homenageia Joaquim Simões da Hora, importante organista e pedagogo português, e na primeira edição destinou-se a premiar uma composição inédita para os dois órgãos, a ser interpretada na recém-restaurada Igreja dos Clérigos. Fizeram parte do júri Nuno Côrte-Real, João Vaz e Javier Artigas. O grande vencedor, anunciado no dia 9 de Março, foi Daniel Bondaczuk de Castro Lobo, com a obra Cantate Domino Canticum Novum.

 

 

Daniel Bondaczuk de Castro Lobo é natural do Brasil mas vive actualmente nos Estados Unidos da América onde frequenta o curso de mestrado em composição na Middle Tennessee State University. O órgão não é um instrumento estranho para ele. Pianista e organista, tem-se apresentado em concerto com regularidade. Foi músico na Catedral Anglicana de São Paulo e, entre 2010 e 2014, participou nos concertos semanais organizados pela professora Elisa Freixo em Tiradentes, Brasil. Foi aí que contactou pela primeira vez com o órgão ibérico. Enquanto compositor, Bondaczuk começa a obter algum reconhecimento. Gloria, para coro e órgão, recebeu o primeiro prémio do concurso de composição de comemoração dos 150 anos da Igreja Episcolpal de St. Mark, em Evanston, Estados Unidos, enquanto que A Procissão, para quinteto de sopros, figurou na final do concurso de música de câmara da South Dakota Symphony.

A cerimónia de entrega do prémio irá ocorrer no dia 2 de Abril nos Paços do Concelho da Câmara Municipal do Porto e é aberta ao público. A obra será estreada no concerto de encerramento do Festival Internacional In Spiritum, marcado para 3 de Maio na Igreja dos Clérigos, e terá a interpretação do organistas João Vaz e Javier Artigas.

Sobre o autor

Mariana Calado

Mariana Calado encontra-se a realizar o Doutoramento em Ciências Musicais Históricas focando o projecto de investigação no estudo de aspectos dos discursos e das sociabilidades que caracterizam a crítica musical da imprensa periódica de Lisboa entre os finais da I República e o estabelecimento do Estado Novo (1919-1945). Terminou o Mestrado em Musicologia na FCSH/NOVA em 2011 com a apresentação da dissertação "Francine Benoît e a cultura musical em Portugal: estudo das críticas e crónicas publicadas entre 1920's e 1950". É membro do SociMus – Grupo de Estudos Avançados em Sociologia da Música, NEGEM – Núcleo de Estudos em Género e Música e do NEMI – Núcleo de Estudos em Música na Imprensa, do CESEM. É bolseira de Doutoramento da FCT.

Uma resposta

  1. Elieti Gorski Damaceno

    Encantada com a reportagem sobre a premiação de Daniel Bondaczuk de Castro! É filho de amigos, conheço a Daniel desde
    menino e sempre muito inteligente, cedo se mostrou talentoso,
    e interessado pela boa música! É um orgulho para nós que o conhecemos e também para o nosso País!

    Responder

Deixa uma resposta a Elieti Gorski Damaceno Cancelar resposta

O seu endereço de correio electrónico não será publicado.