Como tem vindo a ocorrer nos últimos anos, a Sé de Évora realizará, no próximo dia 14 de Janeiro, um concerto de Ano Novo, que ocorrerá na Catedral eborense pelas 18h00. Organizado pela editora Althum em parceria com o Cabido da Sé de Évora, o concerto tem o apoio da EDP, da Fundação Eugénio de Almeida, do Governo de Portugal, da Câmara Municipal de Évora e do Turismo do Alentejo, entre outras entidades, e será protagonizado pelo grupo Capella Patriarchal, sob a direcção de João Vaz.

O programa inclui polifonia vocal sacra e música para órgão do século XVII, nomeadamente o Miserere mei, Deus e o Benedictus Dominus Deus de Frei Fernando de Almeida, provenientes dos livros de coro setecentistas da Capela do Paço Ducal de Vila Viçosa, e várias obras para órgão de Pedro de Araújo. A interpretação vocal estará a cargo da Capella Patriarchal, sendo João Vaz, também responsável pela interpretação das obras de Pedro de Araújo, naquela que será mais uma oportunidade de ouvir o órgão quinhentista da Sé de Évora. A entrada é livre, mediante reserva prévia.

Criado em 2016, o grupo Capella Patriarchal conta já com uma longa série de concertos em Portugal, Espanha e Alemanha. O grupo tem como objectivo principal a divulgação dos tesouros da música sacra portuguesa, apresentando frequentemente obras inéditas, como é o caso das duas obras de Frei Fernando Almeida que constituem o programa vocal deste concerto. Tem contado com um criterioso trabalho de investigação e estudo das fontes musicais, assim como um esforço de observação das práticas interpretativas dos vários períodos históricos a que se reportam as obras que o grupo interpreta. A Capella Patriarchal é dirigida pelo organista e musicólogo João Vaz, professor de órgão na Escola Superior de Música de Lisboa, que tem vindo a desenvolver uma intensa carreira internacional no estudo, interpretação e divulgação do património musical português.

Sobre o autor

Natural dos Açores, é doutorando em Musicologia na Universidade de Évora, Mestre em Ciências Musicais pela FCSH-NOVA e Licenciado em Musicologia pela Universidade de Évora. É colaborador no Pólo de Évora do CESEM e no MPMP (edições mpmp e revista glosas) e consultor do atelier de conservação e restauro Acroarte. Entre 2011 e 2012 realizou o catálogo do fundo musical do Arquivo Capitular da Sé de Angra e, entre 2014 e 2015, foi bolseiro no projecto “Orfeus”, integrando actualmente o projecto "Música Sacra em Évora no Século XVIII". Em 2012 fundou o Ensemble da Sé de Angra, em 2013 o Ensemble Eborensis com quem gravou um CD. O seu trabalho centra-se na polifonia vocal portuguesa dos séculos XVI e XVII (Sé de Évora) e a música no arquipélago dos Açores desde o povoamento até ao final do século XIX.

Deixe um comentário

O seu endereço de correio electrónico não será publicado.