Os pianistas Fausto Neves e Joana Resende irão apresentar-se no mês de Setembro em dois recitais em Paris e no Luxemburgo, interpretando obras de compositores franceses, portugueses e brasileiros.

O primeiro recital terá lugar na Maison de Portugal, em Paris, a 18 de Setembro, e o segundo dois dias depois, a 20 de Setembro, no Foyer Européen, no Luxemburgo. Este recital está inserido no programa Les concerts du Foyer Européen de 2016. Fausto Neves e Joana Resende irão tocar em duo (a quatro mãos) as peças La belle excentrique, de Erik Satie, Petite Suite, de Claude Debussy, Ma mère l’Oye, de Maurice Ravel, Storyboard, de Fernando Lapa, o 3.º caderno das Melodias rústicas portuguesas, op. 211, de Fernando Lopes-Graça, e Brasiliana n.º 4, de Osvaldo Lacerda.

Joana Resende estudou na Escola de Música de Artes do Espectáculo do Porto, na classe de Jaime Mota, tendo terminado a licenciatura em Piano em 2004. Posteriormente, estudou piano, acompanhamento de Lied e música de câmara na Hoschule für Musik und Theater Félix Mendelssohn-Bartholdy, em Leipzig, e realizou diversas masterclasses. Tem mestrado em Performance e em Ensino da Música pela Universidade de Aveiro. Tem-se apresentado em concerto a solo e com Fausto Neves, com quem gravou em 2014 obras de Fernando Lopes-Graça, bem como com as sopranos Catarina Sereno e Ana Maria Pinto e o tenor João Terleira. De momento, encontra-se também a preparar o CD “Anterianas” com Ana Maria Pinto.

Como Joana Resende, Fausto Neves tem consagrado grande parte do seu repertório pianístico a obras de compositores portugueses. Estudou no Conservatório de Música do Porto, na Universidade de Laval, Canadá, e no Conservatório de Música de Genebra. Foi discípulo de Helena Sá e Costa, Robert Weiss, Harry Datyner e Sequeira Costa. É professor convidado da Universidade de Aveiro e professor de piano na Escola Profissional de Música de Espinho.

Sobre o autor

Mariana Calado

Mariana Calado encontra-se a realizar o Doutoramento em Ciências Musicais Históricas focando o projecto de investigação no estudo de aspectos dos discursos e das sociabilidades que caracterizam a crítica musical da imprensa periódica de Lisboa entre os finais da I República e o estabelecimento do Estado Novo (1919-1945). Terminou o Mestrado em Musicologia na FCSH/NOVA em 2011 com a apresentação da dissertação "Francine Benoît e a cultura musical em Portugal: estudo das críticas e crónicas publicadas entre 1920's e 1950". É membro do SociMus – Grupo de Estudos Avançados em Sociologia da Música, NEGEM – Núcleo de Estudos em Género e Música e do NEMI – Núcleo de Estudos em Música na Imprensa, do CESEM. É bolseira de Doutoramento da FCT.

Deixe um comentário

O seu endereço de correio electrónico não será publicado.