Começa já no dia 3 de Março mais uma edição do Festival HARMOS Classical, uma iniciativa cultural que decorre desde o ano de 2006, dedicada à música de câmara, e que desde esse ano tem trazido agrupamentos provenientes dos cinco continentes à zona norte do nosso país.

Anualmente, esteve evento conta com a colaboração e participação da Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo (ESMAE), pólo do Instituto Politécnico do Porto, sua anfitriã, bem como com o apoio da Casa da Música.

Entre as Cidades HARMOS contam-se Barcelos, Lousada, Guimarães, Fafe, Vizela, Vieira do Minho, Famalicão e Póvoa do Lanhoso, entre outras, neste que é um festival dedicado, sobretudo, ao trabalho desenvolvido nas instituições europeias de ensino superior artístico, mais concretamente musical.

Na sua génese, o HARMOS pretende desmistificar e tornar acessível este género musical a um público que se pretende cada vez mais abrangente, não só por não se assumir como um espectáculo elitista  antes pelo contrário  mas também por trazer um grupo de intérpretes todos eles jovens, que continuamente desenvolvem e renovam esta prática musical.

Nesta edição de 2015 é possível contar com a presença do Trio Calvino, Helios Trios, Barbican Quartet, Animato Quartet & Anne Brackman, Stratos Quartett, originários de Basileia, Amsterdão, Londres, Leipzig, Bruxelas, etc., e dos respectivos conservatórios e escolas superiores de música destas cidades (Guildhall School of Music and Drama Londres, Koninklijk Conservatorium Den Haag, Universität für Musik und darstellende Kunst Wie, Austria)…

Entre os agrupamentos portugueses regista-se a presença do Quinteto de Sopros e do Opus III, da ESMAE, bem como do Quarteto Costa da ANSO (Academia Nacional Superior de Orquestra).

Desde 2013 o HARMOS leva a cena outro festival, o HARMOS Plural, que por sua vez abre portas a instituições fora do espaço europeu em homenagem à arte sonora, ao jazz, à world music, ao rock, pop e música electrónica. Ao contrário do HARMOS Classical, este festival aproveita para explorar espaços ao ar livre e espaços improvisados. O conceito HARMOS afigura-se assim como um meio divulgador e como um motor para a promoção da coesão no que se refere ao acesso cultural por parte dos mais diversificados públicos.

A sua programação completa poderá sem consultada aqui.

Sobre o autor

Sofia Teixeira

Sofia Ferreira Teixeira nasceu em 1993 em Torres Novas, Santarém, onde estudou no Conservatório de Música Choral Phydellius, concluindo em 2011 o Curso de Saxofone. É licenciada em Ciências Musicais pela FCSH-UNL e actualmente frequenta o Mestrado em Ensino da Música — Ramo de Formação Musical na ESMAE, Porto. É bolseira do CIPEM — INET-md, onde colabora com o projecto Orelhudo, do Serviço Educativo da Casa da Música. Profissionalmente, é produtora do Festival Dias de Música Electroacústica, dirigido por Jaime Reis, lecciona Formação e Educação Musical no Conservatório de Cascais e trabalha com coros, quer como maestrina assistente, quer como coralista.

Deixe um comentário

O seu endereço de correio electrónico não será publicado.