O recente Arquipélago — Centro de Artes Contemporâneas (Ribeira Grande, S. Miguel) irá acolher um concerto pela pianista Joana Gama e Luís Fernandes no próximo dia 16 de Março, pelas 22h00. Este concerto insere-se na programação da terceira edição do Festival TREMOR, que se realiza na ilha de S. Miguel de 15 a 19 de Março próximo, e realiza-se em parceria criativa e residência artística com o Arquipélago — Centro de Artes Contemporâneas, com o apoio da Direcção Regional da Cultura.

O programa do concerto será preenchido com música do projecto Quest (do qual resultou a gravação de um CD em 2014, pela editora Shhpuma), que combina o piano com a electrónica. O piano é o elemento central para manipulações e subversões da electrónica neste projecto que surgiu do fascínio pelo cruzamento de universos e que levou os intérpretes a este original projecto autoral.

Para além da sua actividade pianística no âmbito da música erudita e académica, Joana Gama tem estado envolvida nos últimos anos em diversos projectos que associam a música a outras artes como a dança, a fotografia, o teatro ou o cinema, tendo colaborado com a coreógrafa Tânia Carvalho, o fotógrafo Eduardo Brito na exposição Terras Interiores, e participado na peça Pele do Útero. Em 2014 estreou o projecto Quest com Luís Fernandes, do qual resultou o CD com o mesmo nome. Tem gravado também diversas vezes para a Antena 2.

O trabalho do músico, artista sonoro e programador cultural Luís Fernandes tem-se desenvolvido paralelamente nas áreas da composição musical, execução e curadoria artística. É elemento fundador da banda pop “Peixe: Aviã”, mentor do projecto The Astroboy e membro dos duos Palmer Eldritch e Quest. Tem colaborado regularmente com artistas como La La La Ressonance, Old Jerusalem e Blac Koyote. O seu trabalho alarga-se à composição de música para cinema, vídeo e instalações, incluindo-se a curta-metragem Mahjong de João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata e a exposição Porto Poetic, uma homenagem aos arquitectos Álvaro Siza Vieira e Eduardo Souto Moura na Triennale di Milano com o alto patrocínio do Museum of Modern Art. A sua discografia conta com mais de quarenta edições oficiais e o seu trabalho tem sido destacado em publicações como The Wire, The GuardianLes Irockuptibles, PúblicoExpresso. Foi curador convidado para o festival BIE da Bienal de Cerveira 2013.

Preço de entrada: 3 euros. Mais informações sobre este concerto e o festival no sítio do festival TREMOR.

Sobre o autor

Natural dos Açores, é doutorando em Musicologia na Universidade de Évora, Mestre em Ciências Musicais pela FCSH-NOVA e Licenciado em Musicologia pela Universidade de Évora. É colaborador no Pólo de Évora do CESEM e no MPMP (edições mpmp e revista glosas) e consultor do atelier de conservação e restauro Acroarte. Entre 2011 e 2012 realizou o catálogo do fundo musical do Arquivo Capitular da Sé de Angra e, entre 2014 e 2015, foi bolseiro no projecto “Orfeus”, integrando actualmente o projecto "Música Sacra em Évora no Século XVIII". Em 2012 fundou o Ensemble da Sé de Angra, em 2013 o Ensemble Eborensis com quem gravou um CD. O seu trabalho centra-se na polifonia vocal portuguesa dos séculos XVI e XVII (Sé de Évora) e a música no arquipélago dos Açores desde o povoamento até ao final do século XIX.

Deixe um comentário

O seu endereço de correio electrónico não será publicado.