O violoncelista Johannes Moser regressa a Lisboa para dois concertos e uma masterclass entre os dias 14 e 20 de Fevereiro, em residência artística no Teatro Nacional de São Carlos. No primeiro concerto estreia-se ELA, do compositor Pedro Faria Gomes.

A 14 de Fevereiro, Johannes Moser e Joana Carneiro, na direcção da Orquestra Sinfónica Portuguesa, interpretarão o Concerto n.º 1 em mi bemol maior para violoncelo e orquestra de Dimitri Chostakovitch, escrito em 1959 e dedicado a Mstislav Rostropovich, a abertura Romeu e Julieta de Piotr Tchaikovsky e a estreia absoluta de ELA, para percussão e metais, de Pedro Faria Gomes. ELA é, segundo o compositor, um “criptograma musical” sobre o nome da sua mulher, Sophie, fazendo a correspondência entre as letras S, H e E, do nome, e as notas mi bemol, si natural e mi natural (nos países anglófonos e germânicos as notas musicais são identificadas por letras). O título joga com a tradução do inglês de “she”/“ela”.

Pedro Faria Gomes (1979-) estudou na Academia de Música de Santa Cecília, na Escola Superior de Música e no Royal College of Music em Londres, onde realizou mestrado e doutoramento em composição. Reside no Reino Unido desde 2007 onde a sua música tem sido apresentada com regularidade. É compositor associado desde 2012 do London Symphony Orchestra Soudhub e Leitor em Composição na Universidade de Cardiff desde 2015. Gomes foi distinguido com vários prémios como o PRS Sir Arthur Bliss Memorial Award in Composition, no Reino Unido, e o Prémio Lopes-Graça em Portugal. É um compositor bastante prolífero e com projecção nacional e internacional. Nos últimos anos estreou obras como Drive, pelo Grupo de Música Contemporânea de Lisboa, How Beastly the Bourgeois Is, pelo soprano Inês Simões e a Orquestra Gulbenkian, Toys and Games, para fagote solo, por Pedro Silva no Conservatório de Música de Coimbra, e Canções do Quadrante para orquestra e coro, encomenda da Academia de Música de Santa Cecília. Este ano, estreará a peça Pinguins para o bailado Carnaval, coreografado por Victor Pontes, que será interpretado pela Companhia Nacional de Bailado e a Orquestra Sinfónica Portuguesa dirigida por Cesário Costa, no Teatro Camões, em Lisboa, e no Teatro Rivoli, no Porto, em Junho e Julho. ELA é uma encomenda do Teatro Nacional de São Carlos.

Após este concerto, Moser prossegue a residência artística no Teatro Nacional de São Carlos com uma masterclass de violoncelo entre os dias 15 e 17 de Fevereiro. As inscrições estão abertas até dia 8 de Fevereiro mediante envio de currículo para o contacto fatima.machado@saocarlos.pt. Os participantes apresentar-se-ão em recital com Moser no dia 18 de Fevereiro.

A 20 de Fevereiro Moser junta-se à pianista Joana David e de novo à Orquestra Sinfónica Portuguesa para um último concerto, no qual se escutarão obras de Claude Debussy, Chostakovitch, Tchaikovsky e Joseph Haydn. Este concerto enquadra-se no ciclo “Nobres Recitais” do Teatro Nacional de São Carlos.

Sobre o autor

Mariana Calado

Mariana Calado encontra-se a realizar o Doutoramento em Ciências Musicais Históricas focando o projecto de investigação no estudo de aspectos dos discursos e das sociabilidades que caracterizam a crítica musical da imprensa periódica de Lisboa entre os finais da I República e o estabelecimento do Estado Novo (1919-1945). Terminou o Mestrado em Musicologia na FCSH/NOVA em 2011 com a apresentação da dissertação "Francine Benoît e a cultura musical em Portugal: estudo das críticas e crónicas publicadas entre 1920's e 1950". É membro do SociMus – Grupo de Estudos Avançados em Sociologia da Música, NEGEM – Núcleo de Estudos em Género e Música e do NEMI – Núcleo de Estudos em Música na Imprensa, do CESEM. É bolseira de Doutoramento da FCT.

Deixe um comentário

O seu endereço de correio electrónico não será publicado.