Hoje, 21 de Setembro, pelas 19h00, na Livraria da Travessa, em Ipanema (Rio de Janeiro), é levada a público a mais recente edição da Editora Tipografia Musical. Com as Cinco Peças para dois violões, de Francisco Mignone (1897-1986), a casa editorial continua o projecto de divulgação da obra do compositor paulista, iniciado com a publicação das 24 Valsas Brasileiras, para piano solo, de que aqui demos conta.

Ambas as edições, Urtext (que estão disponíveis para venda em-linha através da página da editora na Internet), são coordenadas por Maria Josephina Mignone, viúva do compositor, com quem este se apresentava regularmente em dueto. As Cinco Peças para dois violões contam ainda com a colaboração dos guitarristas Sidney Molina e Thiago Abdalla, músicos que integram o Quaternaglia Guitar Quartet.

Francisco Mignone é considerado um dos mais influentes compositores brasileiros. Na apreciável extensão da sua obra, por entre peças para as mais diversas formações, encontram-se algumas páginas dedicadas à viola: são sobretudo relevantes os ciclos de 12 Estudos e 12 Valsas. As cinco pequenas obras que integram este volume, escritas em 1970 e dedicadas ao duo argentino Pomponio-Zárate, foram recentemente redescobertas no Instituto Nacional de Musicologia de Buenos Aires, firmadas em manuscritos autógrafos do compositor.


A propósito da música de Francisco Mignone para este instrumento, consulte-se, e.g., esta ligação.

Sobre o autor

Avatar photo

Licenciado em piano pela Escola Superior de Música de Lisboa, na classe de Jorge Moyano, concluiu o Conservatório Nacional com a classificação máxima, tendo aí estudado com Hélder Entrudo e Carla Seixas. Premiado em diversos concursos, apresenta-se em concerto em variadas formações. Estreia regularmente obras de compositores contemporâneos. Gravou para a RTP/Antena 2, TV Brasil e MPMP: editou, em 2020, o CD “La fièvre du temps” em duo com Philippe Marques. É membro fundador do MPMP Património Musical Vivo, dirigindo temporadas e coordenando inúmeras gravações. Termina, actualmente, o mestrado em Empreendedorismo e Estudos da Cultura do ISCTE. Foi director executivo da GLOSAS entre 2017 e 2020.