A Orquestra Clássica do Sul apresentou recentemente na sua newsletter mensal a programação prevista para o mês de Fevereiro, com actuações concentradas no litoral algarvio.

Sexta-Feira, dia 5 de Fevereiro, iniciou-se o ciclo “Loulé Clássico” no Cineteatro Louletano com um concerto dirigido pelo maestro titular Rui Pinheiro, com a participação do violinista Pedro Meireles, que interpretou o Concerto para violino e orquestra em mi menor, Op. 64, de Felix Mendelsshon. Constaram ainda do programa a abertura Die Geschöpfe des Prometheus, Op. 43, de Ludwig van Beethoven, e a Sinfonia n.º 40 em sol menor KV. 550 de Wolfgang Amadeus Mozart. A terceira edição deste ciclo, promovido pela Orquestra Clássica do Sul, é dedicada aos “grandes concertos românticos”, com a presença de uma obra para solista e orquestra.  O maestro e o solista convidado interagem com o público num espaço que antecedo o concerto, intitulado “À conversa com…”.

No dia 12 de Fevereiro, pelas 21h30, o Centro Cultural de Lagos irá receber um concerto da orquestra, dirigida pelo maestro Rui Pinheiro, intitulado “Dias de Modernidade”, que integra a programação regular da orquestra. O programa é composto por Siegfried-Idyll WVV. 103 de Richard Wagner, a suíte para orquestra Masques et Bergamasques, Op. 112, de Gabriel Fauré, terminando com a Sinfonia n.º 2 em ré maior, Op. 36, de Ludwig van Beethoven.

Estão também previstos dois concertos no âmbito do ciclo “Clássica na Santa Casa”, com dois programas dedicados à serenata italiana e francesa, respectivamente. O primeiro concerto irá realizar-se em Portimão no dia 18 de Fevereiro, pelas 19h00, no Pavilhão Multiusos “Provedor João Tavares”, em parceria com a Santa Casa da Misericórdia de Portimão. O programa inclui a Sonata para fagote e violoncelo em si bemol maior KV.. 292, 2 Duos para violino e clarinete de Paul Hindemith e a Serenata Op. 46 de Alfredo Casella. O segundo concerto decorrerá no dia 19 de Fevereiro, pelas 19h00, no Salão Nobre da Santa Casa de Misericórdia de Faro. O programa, intitulado “Serenata Francesa”, inclui o Quarteto com flauta n.º 3 em dó maior B. 386 de Ignaz Pleyel, a Serenata para flauta e cordas Op. 25 de Paul de Wailly e a Suíte em estilo antigo Op. 24 de Vincent d’Indy. Estas obras serão interpretadas por um septeto de cordas com flauta e trompete.

No dia 28 de Fevereiro, pelas 12h00, irá realizar-se ainda no Teatro das Figuras o primeiro concerto do ciclo “Concertos Promenade”, promovido em colaboração com a Caixa Geral de Depósitos, que este ano tem o título “Era uma vez… Portugal”. Este concerto, com o título “Os Descobrimentos”,  é composto por música de John Avery, com apresentação de Jorge Serafim, sendo a orquestra dirigida por Rui Pinheiro. Este concerto pretende realizar uma viagem musical pelos territórios descobertos pelos Portugueses de uma forma didáctica e direccionada às famílias.

Sobre o autor

Natural dos Açores, é doutorando em Musicologia na Universidade de Évora, Mestre em Ciências Musicais pela FCSH-NOVA e Licenciado em Musicologia pela Universidade de Évora. É colaborador no Pólo de Évora do CESEM e no MPMP (edições mpmp e revista glosas) e consultor do atelier de conservação e restauro Acroarte. Entre 2011 e 2012 realizou o catálogo do fundo musical do Arquivo Capitular da Sé de Angra e, entre 2014 e 2015, foi bolseiro no projecto “Orfeus”, integrando actualmente o projecto "Música Sacra em Évora no Século XVIII". Em 2012 fundou o Ensemble da Sé de Angra, em 2013 o Ensemble Eborensis com quem gravou um CD. O seu trabalho centra-se na polifonia vocal portuguesa dos séculos XVI e XVII (Sé de Évora) e a música no arquipélago dos Açores desde o povoamento até ao final do século XIX.

Deixe um comentário

O seu endereço de correio electrónico não será publicado.