Mais uma vez, a Escola Profissional de Viana do Castelo e a Academia de Música de Viana do Castelo convidam jovens compositores do ensino secundário de música a concorrerem ao Prémio de Composição Século XXI, agora na sua 6.ª edição.

Em homenagem a Jonathan Harvey e Fausto Romitelli, este concurso está aberto a qualquer aluno oficialmente inscrito no Curso Secundário ou Complementar de música, ou no Curso Profissional de Instrumentista de uma instituição reconhecida e autorizada pelo Ministério de Educação, como é o caso de conservatórios, academias ou escolas profissionais. É claramente uma boa solução para implementar a composição ‘fresca’ e contemporânea em Portugal, instigando os mais jovens a criar.

Haverá dois prémios por modalidade – solo, câmara e orquestra – e os laureados terão a possibilidade de ouvir a sua peça estreada no primeiro período do próximo ano lectivo, assim como de a gravar em CD, uma boa oportunidade para o desenvolvimento artístico e profissional de qualquer jovem compositor. As condições de participação são também variadas, podendo o concorrente submeter até uma obra por cada modalidade. Fomenta-se assim a escrita musical a vários níveis de instrumentação, surgindo o pretexto e a oportunidade de se apurar a linguagem própria numa peça a solo, de câmara ou orquestral.

O grupo de instrumentos à disposição dos jovens compositores é variado, permitindo a criação de obras para modelos orquestrais mais tradicionais, como para orquestra sinfónica, de sopros ou de cordas, mas também para formações de ensembles diversas. Sem contar com o piano, a guitarra e o saxofone, que são leccionados na Escola Profissional e a Academia de Música de Viana do Castelo, também há vários instrumentos de percussão ao dispor dos músicos, nomeadamente timbales, bombo, caixa, marimba, vibrafone, pratos e conjunto de tomtoms. Será importante consultar o regulamento deste concurso, especialmente no que se refere ao número de executantes disponíveis por instrumento.

Como os participantes terão a oportunidade de assistir aos ensaios das suas obras, este concurso promove uma colaboração entre compositor e instrumentista parte fundamental na vida de um músico.

O prazo de entrega das peças termina a 30 de Junho, que deverão ter uma duração entre os 3 e 10 minutos.  Serão seleccionadas por um júri constituído pelos compositores e professores Nuno da Rocha, Ângela da Ponte, Igor C. Silva, Jean-François Lézé e Daniel Martinho, com divulgação de resultados a 30 de Setembro.

Mais informações em http://premio-composicao-vcastelo.blogspot.pt/ .

Sobre o autor

Beatriz Noronha Dilão

Terminou o curso complementar de piano na Fundação Musical dos Amigos das Crianças em 2007, completando também o ensino secundário na área de Artes Visuais. Em 2010, completou a licenciatura em Música no Goldsmiths College, University of London, com uma dissertação acerca dos desenvolvimentos contemporâneos do fado. Realizou o mestrado na mesma universidade, concluindo o curso Contemporary and Popular Music Studies em 2012. Foi com o apoio do Professor Sérgio Azevedo que desenvolveu a sua tese sobre Constança Capdeville, com uma análise do ‘Libera me’. Entre 2010 e 2014, deu aulas de piano e formação musical em diversas escolas de Londres, tendo também colaborado num projecto de inclusão social pela arte. Durante este período, realizou actividades de produção, curadoria e divulgação de música contemporânea.

Deixe um comentário

O seu endereço de correio electrónico não será publicado.