Entre os dias 4 e 6 de Dezembro do presente ano decorrerá, no Palácio Nacional de Mafra, o simpósio internacional “O Órgão Histórico em Portugal”, evento organizado pelo Centro de Estudos em Sociologia e Estética Musical, da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa, e pela Associação Cultural Tagus-Atlanticus, com apoio do Palácio Nacional de Mafra, da Câmara Municipal de Mafra, do Patriarcado de Lisboa – Igreja de São Vicente de Fora, e de ECHO – European Cities of Historical Organs, Arkhé Music. O evento visa a abordagem de “aspectos históricos, iconográficos, simbólicos, filológicos, musicais, interpretativos e técnicos acerca do órgão histórico em Portugal, à luz do contexto mais abrangente da evolução conjunta do órgão ibérico em Portugal e Espanha”.

O simpósio está organizado em cinco painéis: “Mafra: o Edifício e a Música”; “O órgão na iconografia e nos relatos dos viajantes”; “Repertório organístico histórico em Portugal”; “Simetria visual e sonora do órgão em Portugal”; e “O órgão histórico em Portugal”. Em cada um dos dias decorrerá também uma mesa redonda: “Restauro de órgãos históricos em Portugal: três estudos de caso (Mosteiro de Arouca, Igreja de São Vicente de Fora de Lisboa, Convento de Santa Maria de Semide de Miranda do Corvo)”; “O órgão histórico no currículo do ensino do órgão em Portugal”; e “Património organístico: monumento, conservação, restituição”. Do programa também consta a exibição de um documentário, “José Luis González Uriol in Lisbon: São Vicente de Fora 1994”, bem como a realização de dois concertos, o concerto de lançamento do disco “José Luis González Uriol in Lisbon”, na Igreja de São Vicente de Fora, em Lisboa, e um concerto a seis órgãos na Basílica do Palácio Nacional de Mafra.

 

 

Com uma comissão científica composta por João Vaz, Marco Brescia e João Pedro d’Alvarenga e uma comissão científica composta também por João Vaz e Marco Brescia, juntamente com Rui Araújo e Zuelma Chaves, o simpósio contará com a participação de investigadores do CESEM/UNL, INET-md/UNL-UTL-UA, Universidade de Coimbra, Universidad Complutense de Madrid, Nationaal Insituut voor der Orgelkunst da Holanda, Escola Superior de Música de Lisboa e Escola Superior de Música de Catalunya, entre outras instituições.

Para consultar o programa: www.tagusatlanticus.com.

 

Sobre o autor

Avatar photo

Isabel Pina é doutoranda e bolseira de doutoramento em Ciências Musicais Históricas na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, interessando-se principalmente pelo estudo da história da música em Portugal nos séculos XIX e XX, música e ideologia, nacionalismo, análise e semiótica musical, e imprensa e crítica musical. Concluiu o mestrado em Ciências Musicais tendo apresentado a dissertação “Neoclassicismo, nacionalismo e latinidade em Luís de Freitas Branco, entre as décadas de 1910 e 1930”. É actualmente voluntária na Biblioteca Nacional de Portugal, tendo estagiado no Museu da Música. Enquanto colaboradora do Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical (CESEM), é membro do Grupo de Teoria Crítica e Comunicação, do SociMus (Grupo de Estudos Avançados em Sociologia da Música), e co-fundadora do Núcleo de Estudos em Música da Imprensa.