A pianista Vera Estevez apresenta-se em Dezembro em dois recitais inéditos em Addis Abeba onde irá interpretar obras dos portugueses Armando José Fernandes e António Fragoso, entre outros compositores.

Vera Estevez estreia-se na Etiópia com um recital a 3 de Dezembro, inserido na 5.ª Edição do Festival de Música Clássica de Adis Abeba. Este festival tem decorrido desde Outubro na capital etíope e resulta da colaboração entre a Yared School of Music e a Alliance Ethio-France, o Goethe-Institute, o Instituto de Cultura Italiana e as Embaixadas da Alemanha, Áustria, Egipto, Espanha, França, Israel, Itália e Portugal. No recital organizado pela Embaixada de Portugal, Estevez irá interpretar um programa variado e cheio de cor. Para além de Cinco Prelúdios op. 1, de Armando José Fernandes e de Nocturno em Ré bemol Maior, de António Fragoso, o público terá a oportunidade de escutar Pour le piano, de Claude Debussy, Valses nobles et sentimentales, de Maurice Ravel e Danzas Argentinas, de Alberto Ginastera.

 

Um aspecto de Adis Abeba

O segundo recital, a 8 de Dezembro, será um dos acontecimentos a marcar as comemorações dos 500 anos de relações diplomáticas entre Portugal e Etiópia, que se assinalam no próximo ano. No Teatro Nacional de Addis Abeba, celebrando a longa história de relações entre os dois países, Estevez tocará de novo Cinco Prelúdios op. 1 e Danzas Argentinas e interpretará também uma peça do pianista e compositor Girma Yifrashewa, Prelude n.º 1: The sheperd with the flute. Neste concerto, Yifrashewa irá interpretar igualmente obras da sua autoria.

Actualmente a viver na Holanda, onde este ano concluiu o Mestrado em interpretação de piano no Conservatório de Maastricht (Zuyd University), sob orientação de Katia Veekmans, Vera Estevez (n. 1986) iniciou os estudos de piano aos dez anos, em aulas particulares, com Lídia Lantos. Ingressou posteriormente no Conservatório Nacional, em Lisboa, na classe de Joaquim Baptista Fernandes, e fez as licenciaturas em Ciências Musicais na FCSH-UNL e em piano na ESMAE, no Porto, com Constantin Sandu. Participa regularmente em masterclasses com pedagogos de renome como Vitaly Margulis, Stanislav Pochekin, Fernando Puchol, François Antonioli, Luiz de Moura Castro, Akiko Ebi, Valentina Berman, Julijus Andrejevas and Devy, entre outros. Tem tocado, a solo e em grupo, em Portugal, Espanha e Holanda, estreando-se agora fora do espaço europeu. Vera Estevez apresenta-se na Etiópia a convite da Embaixada de Portugal.

Girma Yifrashewa (n. 1967) entrou em contacto com a música pela aprendizagem de Kirar, instrumento de cordas dedilhadas tradicional. Aos dezasseis anos ingressou a Yared School of Music onde iniciou os estudos de piano, que prosseguiu no Conservatório de Música de Sofia, Bulgária. Leccionou entre 1995 e 2001 na Yared School of Music e tem-se apresentado como intérprete com regularidade tanto em palcos na Etiópia como no Egipto, Djibouti, Ruanda, Burundi, Moçambique, África do Sul, Bulgária, Reino Unido, Alemanha, Áustrália e Estados Unidos, entre outros. Lançou em 2014, pela editora Unseen Worlds, o álbum Love and Peace.

 

SITEwww.veraestevez.com

Sobre o autor

Avatar photo

Mariana Calado encontra-se a realizar o Doutoramento em Ciências Musicais Históricas focando o projecto de investigação no estudo de aspectos dos discursos e das sociabilidades que caracterizam a crítica musical da imprensa periódica de Lisboa entre os finais da I República e o estabelecimento do Estado Novo (1919-1945). Terminou o Mestrado em Musicologia na FCSH/NOVA em 2011 com a apresentação da dissertação "Francine Benoît e a cultura musical em Portugal: estudo das críticas e crónicas publicadas entre 1920's e 1950". É membro do SociMus – Grupo de Estudos Avançados em Sociologia da Música, NEGEM – Núcleo de Estudos em Género e Música e do NEMI – Núcleo de Estudos em Música na Imprensa, do CESEM. É bolseira de Doutoramento da FCT.