Começa hoje o já tradicional Millennium Festival ao Largo. É provavelmente um dos eventos mais conhecidos e aguardados do verão lisboeta: ocorre ao ar livre, à noite, ao Largo de São Carlos, de 6 a 27 de julho. Na sua décima-quinta edição, o festival terá um total de catorze apresentações.

Destacamos a programação de música clássica, com início no dia 11 de julho, com o LABoratório ÓPERA 1 – Uma experiência em São Carlos. Trata-se da apresentação do workshop realizado com jovens músicos e cantores que trabalharam em proximidade com a Orquestra Sinfónica Portuguesa, o Coro do Teatro Nacional de São Carlos, e com a soprano Elisabete Matos. O projecto foi pensado pelo Serviço Educativo e de Pedagogia do Teatro São Carlos.

No dia 14 e 15 julho, às 21h30, o sucesso da apresentação com a Orquestra Sinfónica Portuguesa e o Coro do Teatro Nacional de São Carlos já está assegurado pela junção de nomes estrelados num concerto dedicado ao célebre compositor norte-americano George Gershwin. Com Sílvia Sequeira como soprano, André Baleiro como barítono, Mário Laginha no piano e Joana Carneiro na direção musical.

O ápice do festival será, sem dúvida, a apresentação da Orquestra Sinfónica Portuguesa na celebração comemorativa de trinta anos de existência, nos dias 21 e 22 julho. Dirigido pelo maestro Antonio Pirolli e com a participação especial do pianista português Artur Pizarro, o programa é o mesmo da primeira apresentação da orquestra, em 5 de fevereiro de 1993, no Cinema Tivoli: Ode para orquestra, de Lukas Foss, Rapsódia sobre um tema de Paganini, Op. 43, de Sergei Rachmaninov, e a Sinfonia n.º 1 em dó menor, Op. 68, de Johannes Brahms.

O Festival é querido por levar música a um amplo público e inundar as ruas do Chiado com a arte dos sons. Toda a informação aqui.

Sobre o autor

Avatar photo

Diplomada pela Universidade de São Paulo, onde se licenciou em História, concluindo o mestrado e o doutoramento em Arqueologia e integrando o LARP, Laboratório de Arqueologia Romana Provincial, enquanto Supervisora de Programas e Pesquisas. Foi docente de História da Arte em diversas instituições universitárias e no MASP, Museu de Arte de São Paulo. Realizou o estágio doutoral no Collège de France, Paris, especializando-se depois em Gestão Cultural no SENAC, Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial, e concluindo o mestrado em Empreendedorismo e Estudos da Cultura — Património no ISCTE, Lisboa, tendo neste âmbito sido distinguida com um Prémio de Excelência Académica.