Miguel Sousa é um dos jovens pianistas portugueses que começam a surgir no panorama musical internacional. Com 28 anos, começou os seus estudos na Academia Luísa Todi, na sua cidade natal, Setúbal, e entre 2006 e 2007 estudou sob a orientação de Daniela Ignazzitto. O seu primeiro concerto a solo ocorreu em 2009 e desde então tem tido a oportunidade de tocar, entre outros locais, na Suécia, Inglaterra, Itália e nos Estados Unidos da América.

Em 2010 terminou a licenciatura na Universidade de Évora, instituição onde teve a oportunidade de estudar não apenas com Elizabeth Allen, mas também com um dos grandes nomes do piano português, António Rosado.

Entre 2010 e 2013 trabalhou em Portugal, passando por diversos conservatórios e outras instituições de ensino, tanto como professor de piano como na qualidade de pianista acompanhador. Destacam-se o Conservatório Regional de Setúbal, a Academia de Telheiras e ainda o Conservatório das Artes Coral Luísa Todi. Um dos maiores grupos musicais com os quais trabalhou foi o Coral Luísa Todi, mas apresentou-se também com o CMU Festival Choir e a CMU Orchestra. Tendo obtido uma menção honrosa em 2012 no Concorso Lia Tortora, teve ainda a possibilidade de colaborar, enquanto acompanhador, com o Festival Aurora Suécia e o Chettham Piano Festival.

Na perspectiva de impulsionar a sua carreira, bem como de aprofundar os seus estudos musicais e conseguir elevá-los a um novo nível, Miguel Sousa viajou para os Estados Unidos da América. Foi neste país que encontrou a oportunidade de usufruir de uma bolsa para realizar o mestrado na Central Michigan University, em Mount Pleasant, sob a orientação de Adrienne Wiley.

Em 2015, Miguel Sousa terminou os seus estudos e pôde dedicar-se a trabalhar a tempo inteiro na Texas A&M University, em College Station. Aqui manteve uma carreira activa tanto como intérprete como enquanto leitor. Actualmente, acompanha também o Texas A&M’s Century Singers e o Women’s Chorus.

Para além dos vários concertos e actuações que vão pautando o seu quotidiano, Miguel Sousa é director musical numa igreja e criou ainda uma temporada de concertos da qual é director artístico. Esta temporada existe sob o nome Intermezzo Chamber Music Series e tem vários concertos agendados, começando a 1 de Setembro, com Schumann e Liszt.

Os concertos de Miguel Sousa são pautados não apenas pelo profissionalismo, como também pela proximidade com o público, procurando eliminar a distância formal que, por vezes, intimida. Desta forma, este intérprete incorpora frequentemente nas suas actuações um comentário às peças, explicando directamente ao público algumas particularidades de cada obra, não apenas de um ponto de vista pessoal, mas também do seu enquadramento na história da música.

Miguel Sousa iniciará em Junho uma tournée europeia com obras de Schumann, Ravel, Bartok, Mendelssohn e Prokofiev. Em pouco mais de vinte dias percorrerá o seguinte itinerário:

  • 18 de Junho: Setúbal, Portugal
  • 22 de Junho: Dresden, Alemanha
  • 24 de Junho: León, Espanha
  • 25 de Junho: Ávila, Espanha
  • 26 de Junho: Barcelona, Espanha
  • 28 de Junho: Genebra, Suíça
  • 29 de Junho: Oslo, Noruega
  • 30 de Junho: Gotemburgo, Suécia
  • 1 de Julho: Heverlee, Bélgica
  • 2 de Julho: Lubbeek, Bélgica
  • 2 de Julho: Gembloux, Bélgica
  • 3 de Julho: Den Haag, Holanda
  • 5 de Julho: Bonn, Alemanha
  • 6 de Julho: Genk, Bélgica
  • 7 de Julho: Paris, França
  • 8 de Julho: Bergess Hill, Reino Unido
  • 9 de Julho: Surrey, Reino Unido
Programa:

Schumann – Carnaval de Veneza, Op. 26

Ravel – Gaspard de la Nuit

Mendelssohn – Canções sem Palavras, Op. 53

Bela Bartok – Romanian Folk Dances; Allegro Barbaro

Prokofiev – Sonata n. º7.

É possível acompanhar o trabalho de Miguel Sousa através do seu canal Youtube ou da sua página na internet.

Sobre o autor

Avatar photo

Rita Faleiro é doutoranda em Musicologia na Universidade de Évora, Mestre em Ensino da Música (Piano) pelo ISEIT - Almada e Licenciada em Piano e Arqueologia pela Universidade de Évora. Trabalhou como professora de Piano em diversas instituições e organizou diversas Masterclasses, tendo participado igualmente em múltiplas edições das Jornadas “Escola de Música da Sé de Évora”. Actualmente o seu trabalho académico centra-se na investigação de música sacra portuguesa, nomeadamente os salmos concertados da segunda metade do séc. XVIII dos compositores eborenses.