O Ensemble MPMP apresentará na próxima quarta-feira, pelas 19h, no Grande Auditório da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, o primeiro concerto do Festival Prémio Jovens Músicos 2015, a ocorrer depois da cerimónia de entrega de prémios, de um painel e de um lançamento durante a tarde. Participam, sob a direcção de Jan Wierzba, os solistas Marina Pacheco (soprano) e André Baleiro (barítono) e os instrumentistas Tatiana Rosa (flauta), Miguel Costa (clarinete), Daniel Bolito (violino), Catarina Távora (violoncelo), Duarte Pereira Martins (piano) e Tomás Moital (percussão).

‘De escárnio e maldizer’ compõe-se de quatro poemas medievais portugueses com música dos jovens compositores Edward Luiz Ayres d’Abreu (Foi a cítola temperar, sobre Martim Soares), Gonçalo Gato (Comendador, u m’eu quitei, sobre Rui Pais de Ribela), Nuno Peixoto de Pinho (Foi um dia Lopo jograr, sobre Martim Soares) e Filipe Melo (Ai, dona fea, feste-vos queixar, sobre João Garcia de Guilhade).

Logo a seguir entram no palco do Grande Auditório os Sete Lágrimas, sob a direcção de Filipe Faria e Sérgio Peixoto, para o concerto ‘Diáspora’, e às 21h30 dá-se a Grande Final do Prémio Jovens Músicos com a participação dos solistas laureados e da Orquestra Gulbenkian sob a direcção de Jean-Marc Burfin. A programação completa do Festival Prémio Jovens Músicos 2015, que se prolonga até dia 2 de Outubro, pode ser consultada abaixo:

 

Sobre o autor

Edward Ayres de Abreu

Curso Complementar de Piano no Conservatório Nacional. Licenciatura em Composição pela Escola Superior de Música de Lisboa, onde estudou sob orientação de Sérgio Azevedo e de António Pinho Vargas. Durante um ano, em programa Erasmus, frequentou o Conservatório Nacional Superior de Paris (CNSMDP). Mestre e doutorando em Ciências Musicais pela Universidade NOVA. Membro fundador e Presidente da Direcção do MPMP. Director da revista GLOSAS (números 1-15 e 20-). Distinguido com o 2.º Prémio do Concurso Otto Mayer-Serra (2017) da Universidade da Califórnia, Riverside, e o Prémio Joaquim de Vasconcelos (2019) da Sociedade Portuguesa de Investigação em Música.

Deixe um comentário

O seu endereço de correio electrónico não será publicado.