Este mês, destacamos a Maratona de Percussão da Jovem Orquestra Portuguesa, de Pedro Carneiro, a ocorrer nos dias 24, 25 e 26, na sede da orquestra, em Algés. Como convidado especial, estará presente o percussionista e professor Isao Nakamura, da Hochschule für Musik Karlsruhe, numa maratona de concertos, oficinas e masterclasses. Aberta a todos os interessados mediante inscrição prévia, a maratona  integra três sessões na sexta-feira e no sábado, que incluem não só workshops e uma tertúlia com Nakamura, como também a oportunidade de assistir a um concerto com obras de Mauricio Kagel, Dai Fujikura, Peter Eötvös, Toshio Hosokawa e Ralph Bernardy, a ocorrer no dia 25, às 21h00. Os jovens inscritos poderão ainda participar no concerto de dia 26, no festival O Muro – Festival de Arte Urbana de Lisboa, pelas 16h30. Por fim, a maratona culmina com um concerto, de novo na sede da OCP, às 19h30.

Ainda a propósito de percussão, salientamos o espectáculo Textures & Lines, a ocorrer no Teatro Viriato, Viseu, a 30 de Maio. É uma colaboração entre o Drumming – Grupo de Percussão e o duo para piano e electrónica de Joana Gama e Luís Fernandes, o qual tem afirmado uma linguagem muito própria devido à sua relação com variadas expressões artísticas. Aqui, trabalham juntamente com a criação visual de Pedro Maia, num concerto em que o Drumming – GP assume também o papel de compositor.

A não perder também é a 25.ª edição do Festival Música Viva no O’culto da Ajuda, sob o nome Uma Luz ao Fundo do Túnel, de 24 de Maio a 1 de Junho. Mais uma vez, espera-se uma programação diversificada e inteiramente dedicada à música contemporânea e electroacústica. Vários agrupamentos nacionais participarão, nomeadamente o ensemble residente, Sond’Ar-te Electric Ensemble, o Ensemble de Música Electrónica da ESART e o Laboratório de Música Mista José Luís Ferreira da ESML. A este compositor é também dedicado um concerto, protagonizado pela pianista Ana Telles, também com obras de Eurico Carrapatoso, Christopher Bochmann, Eduardo Luís Patriarca, Miguel Azguime, João Nascimento, Jean Sébastien Béreau e Carlos Caires. Haverá um concerto com obras de alunos da ESMAE, assim como vários outros com agrupamentos internacionais, nomeadamente com o Vertixe Sonora – Migración II e Kwartludium Ensemble. A não faltar também serão vários momentos com a Orquestra de Altifalantes do espaço, com obras de Trevor Wishart, Gilles Gobeil, da Confederação Internacional de Música Electroacústica e da European Art Science Technology Network for Digital Creativity.

No que toca à música contemporânea, contamos com um concerto do grupo italiano mdi ensemble, no Teatro Municipal da Guarda, a 16 de Maio, com um repertório inteiramente dedicado ao compositor Helmut Lachenmann, e seguido de um Café-Concerto com a exibição de um documentário sobre este compositor. O mdi ensemble é formado por Paolo Casiraghi (clarinete), Lorenzo Gentili-Tedeschi (violino), Paolo Fumagalli (violeta), Giorgio Casati (violoncelo) e Luca Leracitano (piano), e integra a programação deste mês do TMG no âmbito do XIII Síntese – Ciclo de Música Contemporânea da Guarda.

Termina ainda este mês o Festival Internacional de Música do Algarve, não obstante ainda contemos com bastantes concertos com a participação de várias orquestras de Norte a Sul do país. Destacam-se, entre eles, Notas de Prova, a 18 de Maio, no Hotel Eva, em Faro, que alia música à gastronomia como forma de promoção dos agentes turísticos do Algarve. No cardápio está a Orquestra Clássica do Sul, dirigida pelo maestro José Eduardo Gomes, com cada uma das obras, como Frühlingsstimmen, Op. 410 de Strauss, ou a Habanera, de Chabrier, acompanhadas por um prato e um vinho. Destaca-se também o concerto do maestro Jan Wierzba com a Orquestra do Norte, com obras de Beethoven e Mendelssohn, e com o Concerto para violoncelo em Lá menor, Op. 129, de Schumann, protagonizado pelo solista Marco Pereira, a ocorrer no Cineteatro Louletano, a 24 de Maio. A encerrar o festival, foi programada mais uma vez a Orquestra Clássica do Sul, dirigida pelo director artístico do próprio festival, Rui Pinheiro, com a afamada Sinfonia n.º 9 em Mi menor, Op. 95, Do Novo Mundo, de Dvořak, e a Abertura Oberon de Weber. Para este concerto, os solistas Daniel Stabrawa (violino) e Máté Szucs (violeta) foram convidados a interpretar a Sinfonia Concertante para violino e violeta em Mi bemol maior, de Mozart.


Programação

 

31 de Março a 31 de Maio – Vários locais, Algarve 

Festival Internacional de Música do Algarve 2019

 

16 de Maio – Teatro Municipal da Guarda, Guarda 

mdi ensemble – concerto dedicado a Helmut Lachenmann

 

24 a 26 de Maio – Sede da Orquestra de Câmara Portuguesa, Paço d’Arcos

Maratona de Percussão JOP – com Isao Nakamura

 

24 de Maio a 1 de Junho – O’culto da Ajuda, Lisboa

Festival Música Viva, 25.ª edição – Uma Luz ao Fundo do Túnel

 

30 de Maio – Teatro Viriato, Viseu

Textures & Lines – Drumming + Joana Gama & Luís Fernandes + Pedro Maia

Sobre o autor

Avatar photo

Terminou o curso complementar de piano na Fundação Musical dos Amigos das Crianças em 2007, completando também o ensino secundário na área de Artes Visuais. Em 2010, completou a licenciatura em Música no Goldsmiths College, University of London, com uma dissertação acerca dos desenvolvimentos contemporâneos do fado. Realizou o mestrado na mesma universidade, concluindo o curso Contemporary and Popular Music Studies em 2012. Foi com o apoio do Professor Sérgio Azevedo que desenvolveu a sua tese sobre Constança Capdeville, com uma análise do ‘Libera me’. Entre 2010 e 2014, deu aulas de piano e formação musical em diversas escolas de Londres, tendo também colaborado num projecto de inclusão social pela arte. Durante este período, realizou actividades de produção, curadoria e divulgação de música contemporânea.