A revista de música sacra portuguesa surge em 2013, com a criação de Libellus Usualis – Associação. Reunindo colaboradores de diversas proveniências, as publicações semestrais assumem como maior compromisso a divulgação e dinamização da música sacra de expressão portuguesa, tendo em vista o bem maior que é a dignificação da liturgia.

A particularidade destas edições centra-se na publicação de obras inéditas, originais, com um amplo leque de exigência interpretativa, possibilitando assim a sua utilização por todo o género de grupos corais, que é, antes de mais, um dos propósitos da associação.

Em Março teve lugar o lançamento do terceiro número da Libellus, cujo conteúdo vem confirmar as orientações editoriais que caracterizam esta revista. Já a primeira edição contava com doze obras inéditas, com algumas assinaturas reconhecidas, como Joaquim dos Santos ou Fernando Lapa, acompanhadas nas seguintes edições por Eugénio Amorim, Nuno Costa, Fernando Valente, Bruno Ferreira, Pedro de Miranda, Carlos da Silva, João Santos e Carlos Brito Dias.

As três edições têm seguido um contexto litúrgico de grande simbologia temática, respectivamente: 1) Tempo de Quaresma; 2) Tempo de Natal; 3) Tempo da Páscoa.

Na página em linha encontramos não só a loja virtual para a aquisição das revistas, mas também uma selecção de partituras com descarregamento gratuito disponível.

Deixamos aqui a explicação do nome da revista segundo a elegante descrição dos seus criadores:

Verdadeira ponte, de Cultura para Cultura, é esta que nos honramos de inaugurar sob o nome de Libellus Usualis. O nome alude a esse estojo precioso que é a colação da Missa e do Ofício num só livro, que se queria para uso frequentíssimo dos músicos ministros do culto. O diminutivo põe-se pela humilde aspiração à mímesis. Mas não deixa de ser também, da parte dos autores, uma tapeínosis merecedora do aplauso do seu público, a saber, todos aqueles que aspiramos ou trabalhamos para que, na Música Sacra, Deus seja sempre louvado de maneira compreensível à Cultura contemporânea.

Sobre o autor

Avatar photo

Iniciou a Licenciatura em Música (Violoncelo) no Conservatorium van Amsterdam, concluída em 2011 na Universidade do Minho na classe de Pavel Gomziakov. Fez parte da Orquestra FOE – Capital Europeia da Cultura e Orquestra da Universidade do Minho, trabalhando com maestros como Joana Carneiro, Pedro Neves, Emílio de César e Francesco Belli, e acompanhando solistas de renome como Guy Braunstein, Victoria Mullova, Wim Mertens, Natalie Klein e Nelson Freire. Actuou em diversas óperas, tanto em cena como na orquestra, e participou nas gravações de 'Espelho Mágico' de Manoel de Oliveira. Leccionou uma 'masterclass' na Academia de Música de Vila Verde em 2012. Recebeu o prémio 'Jovem Escritor' da VII edição do Concurso Literário Matilde Rosa Araújo na categoria Conto Infantil. É professora de Violoncelo na Escola Profissional e Artística de Espinho (assistente do professor convidado Romain Garioud).