Faleceu, aos 106 anos, a violoncelista Madalena Sá e Costa. Irmã da célebre pianista Helena Sá e Costa, filha de Luiz Costa, compositor, e de Leonilda Moreira de Sá, também pianista, neta de Bernardo Moreira de Sá, violinista, Madalena era testemunho maior das mais notáveis transformações culturais do Porto musical do último século.

Foi discípula de Guilhermina Suggia. Concluiu o curso no Conservatório Nacional em 1940, sob a orientação de Isaura Pavia de Magalhães, após o que completa a sua formação com Paul Grümmer, Sandor Végh e Pablo Casals, entre muitos outros.

Galardoada com os prémios Orpheon Portuense (1939), Emissora Nacional (1943), Morrisson da Fundação Harriet Cohen (1958), Guilhermina Suggia, SNI (ex aequo, 1966), Madalena Sá e Costa manteve com a sua irmã Helena um duo durante mais de cinquenta anos, actuando um pouco por toda a Europa; com a sua irmã e com o violinista Henri Mouton formou o Trio Portugália, depois tornado Quarteto aquando da integração do violetista François Broos. Em orquestra tocou sob a regência de Pedro de Freitas Branco, Frederico de Freitas, Ivo Cruz, Fritz Riegger, Jacques Pernood, Gunther Arglebe, Pedro Blanch e Silva Pereira, entre outros, e integrou a Orquestra Sinfónica da Emissora Nacional (1966-84), a Sinfónica do Porto (1970) e a Camerata Musical do Porto, de que foi membro fundador (1979-89). Foi ainda docente do Conservatório de Música do Porto e do Conservatório de Música Calouste Gulbenkian, em Braga.

A Glosas recorda, com profunda saudade, a entrevista realizada para a revista impressa n.º 13, em 2015, de que publicámos excertos nesta peça on-line — https://glosas.mpmp.pt/nos-101-anos-madalena-sa-costa/ — e lembra a recente reedição digital, pelo MPMP, do álbum 8 peças progressivas, com música de Fernando Corrêa de Oliveira escutar abaixo.

À sua família e aos seus amigos dedicamos os nossos mais profundos sentimentos.

 


 

Sobre o autor

Avatar photo

Curso Complementar de Piano no Conservatório Nacional. Licenciatura em Composição pela Escola Superior de Música de Lisboa, onde estudou sob orientação de Sérgio Azevedo e de António Pinho Vargas. Durante um ano, em programa Erasmus, frequentou o Conservatório Nacional Superior de Paris (CNSMDP). Mestre e doutorando em Ciências Musicais pela Universidade NOVA. Membro fundador e Presidente da Direcção do MPMP. Director da revista GLOSAS (números 1-15 e 20-). Distinguido com o 2.º Prémio do Concurso Otto Mayer-Serra (2017) da Universidade da Califórnia, Riverside, e o Prémio Joaquim de Vasconcelos (2019) da Sociedade Portuguesa de Investigação em Música.