A 35.ª edição da Temporada Música em São Roque decorre de 13 de outubro a 10 de novembro, em Lisboa. O Festival é organizado pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e ocorre na Igreja de São Roque e no Convento de São Pedro de Alcântara, em Lisboa. O Festival prevê dez concertos com entrada gratuita. Um dos princípios basilares da Temporada de Música de São Roque é apoiar a cultura musical de matriz portuguesa.

Criada há 35 anos, a Temporada de Música de São Roque é considerada uma das melhores e mais antigas temporadas de música de Lisboa. Surgiu em 1988 com o objetivo de reforçar a política da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa de apoiar a cultura musical portuguesa, divulgando também o património histórico e artístico em geral.

O Festival terá várias estreias, entre elas as que se escutarão no concerto do Ensemble MPMP, que apresenta em estreia moderna missas românticas de Francisco Xavier Migone e de Francisco Norberto dos Santos Pinto. No mesmo concerto será apresentada, em estreia absoluta, uma obra encomendada ao vencedor do Prémio Musa 2022, Samuel Gapp.

Focando-se no século XIX, o MPMP propõe, de forma complementar e contrastante, a redescoberta de duas figuras proeminentes deste século em Lisboa. Santos Pinto foi professor no Conservatório Nacional e trompista nas Reais Cavalariças e no Teatro Nacional de São Carlos, que dirige. Compôs proficuamente, e com significativa dedicação à música sacra. Já Migone, em quem se nota a influência da música italiana, desempenhou uma série de postos-chave no meio musical ao longo da década em que foi escrita a Missa em fá maior (1847):  sucedeu a João Domingos Bomtempo como diretor do Conservatório Nacional, estreando óperasno São Carlos e dirigindo temporadas. Ambas as partituras das obras apresentadas encontram-se depositadas na Biblioteca Nacional de Portugal, e foram alvo de edição pelo MPMP.

O MPMP irá apresentar também uma estreia absoluta, fruto de uma encomenda ao vencedor do Prémio Musa 2022, Samuel Gapp. Nas palavras do compositor, Tão fundo o íntimo rumor relaciona-se de forma cronológica com a vida de São Roque através da reflexão sobre os seus valores e particularidades. A desconstrução e reformulação destes excertos resultou numa amálgama que serviu de base formal à música. Assim, a composição aborda um contexto religioso e espiritual de forma profundamente pessoal, sem seguir as formalidades estabelecidas da música sacra.

Com a soprano Sofia Marafona, o tenor Marco Alves dos Santos, o baixo André Henrique e o Ensemble MPMP, com direção musical de Jan Wierzba, o programa Missas românticas será apresentado a 20 de outubro, às  21h00, na Igreja de São Roque.

Programa

Norberto Santos Pinto (1815-1860)

Missa pequena a três em lá maior (1844) *

Samuel Gapp (1997-)

Tão fundo o íntimo rumor **

I Dem Heiligen Ziele

II Deitamos flor

III Und seine Lieder rinnen rauschend zurück in ihn

Francisco Xavier Migone (1811-1861)

Missa em fá maior (1847) *

 

* Estreias modernas

** Estreia absoluta do vencedor do Prémio Musa 2022.

Sobre o autor

Avatar photo

Diplomada pela Universidade de São Paulo, onde se licenciou em História, concluindo o mestrado e o doutoramento em Arqueologia e integrando o LARP, Laboratório de Arqueologia Romana Provincial, enquanto Supervisora de Programas e Pesquisas. Foi docente de História da Arte em diversas instituições universitárias e no MASP, Museu de Arte de São Paulo. Realizou o estágio doutoral no Collège de France, Paris, especializando-se depois em Gestão Cultural no SENAC, Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial, e concluindo o mestrado em Empreendedorismo e Estudos da Cultura — Património no ISCTE, Lisboa, tendo neste âmbito sido distinguida com um Prémio de Excelência Académica.