Inaugura no dia 11 de Setembro a exposição “Música no D. Maria II – a colecção de partituras”, com curadoria de David Cranmer e colaboração do CESEM – Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical. A exposição está patente no Teatro D. Maria II, em Lisboa, até 30 de Dezembro.

Esta exposição revela a público parte do espólio de partituras provenientes de produções realizadas pelo Teatro D. Maria II e que mostram como a música pode estar presente num espectáculo teatral. Canções, danças, melodias instrumentais, toques de trombeta ou de sino e o rufar de tambores pontuam momentos de peças, caracterizam personagens e dão mais cor às cenas. Os documentos expostos cobrem os quase 170 anos de vida do Teatro D. Maria II, dando a conhecer aspectos da sua história e de quem fazia parte das orquestras ou bandas do teatro, dado que algumas das partituras escolhidas apresentam a curiosidade de incluírem apontamentos e desenhos feitos pelos músicos que as tocavam. Dias 11 e 12 de Setembro, às 17h, serão feitas visitas guiadas com o curador da exposição. No dia 23 de Outubro, o lançamento do catálogo da exposição incluirá um recital por João Paulo Santos e Ana Paula Russo e uma comunicação por David Cranmer.

 

 

“Música no D. Maria II – a colecção de partituras” inaugura um fim-de-semana verdadeiramente agitado que marca a abertura da temporada 2015-16 do teatro. Para além da exposição, decorrerão debates, uma feira do livros de teatro, oficinas dirigidas aos mais novos, leituras públicas, concertos à noite no Largo de S. Domingos, uma homenagem a Eunice Muñoz e ainda a estreia das novas produções de Tiago Rodrigues de Ifigénia, Electra e Agamémnon.

Todos os eventos são de entrada livre, sujeitos ao levantamento de bilhetes e lotação das salas, numa iniciativa que se integra no programa “Lisboa na Rua”, promovido pela EGEAC. Para mais informações, consulte o sítio do Teatro D. Maria II ou a programação de Lisboa na rua.

Sobre o autor

Avatar photo

Mariana Calado encontra-se a realizar o Doutoramento em Ciências Musicais Históricas focando o projecto de investigação no estudo de aspectos dos discursos e das sociabilidades que caracterizam a crítica musical da imprensa periódica de Lisboa entre os finais da I República e o estabelecimento do Estado Novo (1919-1945). Terminou o Mestrado em Musicologia na FCSH/NOVA em 2011 com a apresentação da dissertação "Francine Benoît e a cultura musical em Portugal: estudo das críticas e crónicas publicadas entre 1920's e 1950". É membro do SociMus – Grupo de Estudos Avançados em Sociologia da Música, NEGEM – Núcleo de Estudos em Género e Música e do NEMI – Núcleo de Estudos em Música na Imprensa, do CESEM. É bolseira de Doutoramento da FCT.