Começa hoje o Festival Música Viva 2023, a decorrer no O’culto da Ajuda. Os nove dias de
programação, até 13 de Maio, permitirão a apresentação de nove concertos, com cerca de 40
obras, 12 das quais em estreia absoluta. A 29ª edição deste evento contará com a participação
do Sond’Arte Electric Ensemble, Sonoscopia, Sigma Project, Concrète [Lab] Ensemble e
Humorictus Ensemble, além da presença habitual da inusitada Orquestra de Altifalantes, desta
feita com a espacialização sonora de Francis Dhomont e Natasha Barrett.

Note-se como particularmente impactante a presença da ópera “Sonic Rumble with Green
Mustard”, de Vítor Rua, em estreia absoluta (no dia 11 de Maio). A restante programação é
preenchida com obras de diversas latitudes portuguesas e internacionais: deixamos apenas,
como exemplo, a referência à apresentação de música de João Pedro Oliveira, Carlos Caires,
Isabel Soveral, Inés Badalo, António de Sousa Dias, Györgi Ligeti e Iannis Xenakis, entre muitos
outros.

Na nota de comunicação enviada pela Miso Music Portugal, pode ler-se que “uma das salas de
concerto mais preciosas e irreverentes de Lisboa reunirá músicos portugueses e estrangeiros,
seja em início de carreira ou plenamente estabelecidos, para uma mostra diversa e expressiva
da música do nosso tempo, com um número importante de novas obras em estreia absoluta”.
A não perder!

Recordamos aqui o concerto de abertura do anterior Festival Música Viva (2022):

 

Sobre o autor

Avatar photo

Licenciado em piano pela Escola Superior de Música de Lisboa, na classe de Jorge Moyano, concluiu o Conservatório Nacional com a classificação máxima, tendo aí estudado com Hélder Entrudo e Carla Seixas. Premiado em diversos concursos, apresenta-se em concerto em variadas formações. Estreia regularmente obras de compositores contemporâneos. Gravou para a RTP/Antena 2, TV Brasil e MPMP: editou, em 2020, o CD “La fièvre du temps” em duo com Philippe Marques. É membro fundador do MPMP Património Musical Vivo, dirigindo temporadas e coordenando inúmeras gravações. Termina, actualmente, o mestrado em Empreendedorismo e Estudos da Cultura do ISCTE. Foi director executivo da GLOSAS entre 2017 e 2020.