O acordeonista português João Barradas apresentou-se ontem, 15 de Julho, no festival de Aix-en-Provence, França, como um dos músicos da formação Cairo Jazz Station, surgida a partir de uma sessão intercultural MYO (Mediterranean Youth Orchestra), durante as Medinea Sessions (Mediterranean Incubator of Emerging Artists) de 2016, que unem instrumentistas do Mediterrâneo.

Desde 2016 já se apresentaram no Cairo, em Aix-en-Provence, em Lisboa (Fundação Calouste Gulbenkian), em Nuoro, em Sardinia (Itália), em Constantine (Algéria) e em Heidelberg (Alemanha).

A formação é composta por Abdallah Abozekry, saz (Egipto), Ismail Altunbas, percussão (Turquia), João Barradas, acordeão (Portugal), Loris Lari, contrabaixo (Itália).

Oriundos de diferentes países, com tradições musicais diversas e estéticas próprias, os elementos do grupo cruzam jazz com música contemporânea do Oriente Médio. O grupo abriu o concerto de Sophie Alour, uma das mais proeminentes saxofonistas de França que se apresentou em sexteto, no emblemático espaço do Hôtel Maynier d’Oppède.

Sobre o autor

Avatar photo

Diplomada pela Universidade de São Paulo, onde se licenciou em História, concluindo o mestrado e o doutoramento em Arqueologia e integrando o LARP, Laboratório de Arqueologia Romana Provincial, enquanto Supervisora de Programas e Pesquisas. Foi docente de História da Arte em diversas instituições universitárias e no MASP, Museu de Arte de São Paulo. Realizou o estágio doutoral no Collège de France, Paris, especializando-se depois em Gestão Cultural no SENAC, Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial, e concluindo o mestrado em Empreendedorismo e Estudos da Cultura — Património no ISCTE, Lisboa, tendo neste âmbito sido distinguida com um Prémio de Excelência Académica.