No próximo dia 18 de Abril, segunda-feira, pelas dezoito horas, na sala 5X da Universidade Lusíada de Lisboa, terá lugar a conferência “Estética e política nas artes: a construção das heroínas de ópera na China de Mao Tsé-Tung”, pela Prof.ª Doutora Luzia Aurora Rocha. A conferência tem como objectivo demonstrar as políticas impostas na produção de ópera no período de Mao Tsé-Tung, que reivindicou uma quebra com os códigos políticos, sociais e artísticos vigentes até então, utilizando a ópera como instrumento político e de manipulação de massas. Através da análise de fonogramas e mais especificamente da análise iconográfica de capas dos discos presentes na Fundação Oriente (Colecção Kwok On), Lisboa, Luzia Rocha pretende problematizar questões de género presentes na construção das heroínas operáticas do regime de Mao. De acordo com Luzia Rocha, “o título da conferência mostra o paradoxo da importância da mulher na ópera e na política numa era em que apenas passou para a posteridade a imagem de um herói masculino dominante”.

Luzia Aurora Rocha é licenciada, mestre e doutora em Ciências Musicais pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, e é actualmente investigadora do CESEM, Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical, bem como docente na Licenciatura em Jazz e Música Moderna da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Lusíada de Lisboa. Dedicando-se ao estudo de iconografia musical entre os séculos XVI e XXI, é autora de vários artigos e livros, entre eles Cantate Dominum – Música e Espiritualidade no Azulejo Barroco e Ópera & Caricatura. O Teatro de S. Carlos na obra de Rafael Bordalo Pinheiro (2 volumes). É fundadora do NIM, Núcleo de Iconografia Musical do CESEM, existente desde o ano de 2000.

O evento, com entrada livre, é organizado pelo Prof. Doutor Ricardo Nuno Futre Pinheiro, coordenador da Licenciatura em Jazz e Música Moderna da Universidade Lusíada de Lisboa, e tem o apoio do INET-MD, Instituto de Etnomusicologia – Música e Dança.

 

Sobre o autor

Avatar photo

Isabel Pina é doutoranda e bolseira de doutoramento em Ciências Musicais Históricas na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, interessando-se principalmente pelo estudo da história da música em Portugal nos séculos XIX e XX, música e ideologia, nacionalismo, análise e semiótica musical, e imprensa e crítica musical. Concluiu o mestrado em Ciências Musicais tendo apresentado a dissertação “Neoclassicismo, nacionalismo e latinidade em Luís de Freitas Branco, entre as décadas de 1910 e 1930”. É actualmente voluntária na Biblioteca Nacional de Portugal, tendo estagiado no Museu da Música. Enquanto colaboradora do Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical (CESEM), é membro do Grupo de Teoria Crítica e Comunicação, do SociMus (Grupo de Estudos Avançados em Sociologia da Música), e co-fundadora do Núcleo de Estudos em Música da Imprensa.