Geografias : Amesterdão

 Patrícia Rio Gonçalves Just

 de A a Z

 

 

Amsterdão — casa que construi.

 

Belo — um pôr-do-sol vermelho com música nos ouvidos.

 

Coro — de Câmara de Lisboa.

 

Desencontro — a família que ficou em Portugal.

 

Encontro — família que comecei em Amesterdão.

 

Felicidade é… o riso dos meus filhos.

 

Gosto de… cantar.

 

Homenagem — a meu pai.

 

Investimento — pessoal, a nível de carreira e de mãe.

 

Justiça — essencial.

 

Libreto — Le nozze di Figaro.

 

Música de Câmara — Trio PavHana (o meu trio de câmara de flauta, harpa e soprano).

 

Nação — Portugal.

 

 

Ópera — La Bohème.

 

Pastel de Nata — ahhhhhhhhhhhhhh… saudades…!

 

Q. b. — saúde e amor.

 

Rio — família… berço.

 

Soprano — Mirella Freni.

 

Trabalho — paixão.

 

União — força.

 

Valentia — ir para um país sem conhecer nada nem ninguém.

 

Xadrez (da música nacional e internacional) — uma paixão de juventude…. Pearl Jam.

 

Zoom (à música erudita portuguesa) — Maria João Pires.

 

 


 

Patrícia Rio Gonçalves nasceu em Lisboa, Portugal. Iniciou os seus estudos em 1996 na Escola de Música de Nossa Senhora do Cabo, em Lisboa, com a professora de canto Joana Levy, terminando-os em 2002. Em 1996, Patrícia cantou o papel de “A graduated girl” na ópera Street scene de Kurt Weill, no Teatro Nacional de São Carlos, em Lisboa. De 1998 a 2002 foi membro do Coro de Câmara de Lisboa e de 2000 a 2002 foi membro do Coro Gulbenkian de Lisboa.

Iniciou os seus estudos no Conservatório de Amesterdão, com Claron McFadden e Pierre Mak, e terminou-os em 2008. O seu repertório inclui papéis como Fiordiligli (Così fan tutte), Belinda (Dido e Aeneas), Hänsel (Hänsel und Gretel) e, recentemente, Susanna (Le Nozze di Figaro). Participou em masterclasses com professores como Udo  Reinemann, Rudolf Jansen, David Selig e Claron McFaddon.

Antes de ir para a Holanda, completou o seu diploma em Biotecnologia na Universidade Lusófona de Lisboa. Para além do seu trabalho como solista em oratória, canção e ópera,  também é professora de canto na Escola de Música Muziekpakhuis em Amesterdão.

 

Sobre o autor

Avatar photo

Luzia Rocha possui os graus de Licenciatura, Mestrado e Doutoramento em Ciências Musicais pela Universidade Nova de Lisboa. É investigadora no Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical (CESEM) da Universidade Nova de Lisboa. É membro do ‘Study Group on Musical Iconography’ e do ‘Study Group for Latin America and the Caribbean’ (ARLAC-IMS), ambos da International Musicological Society. É colaboradora na Rede Temática em Estudos de Azulejaria e Cerâmica João Miguel dos Santos Simões do Instituto de História da Arte da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e no Grupo de Iconografia Musical da Universidad Complutense de Madrid/AEDOM. Trabalhou como docente na Academia de Amadores de Música, Escola Técnica de Imagem e Comunicação (ETIC), Instituto Piaget (ISEIT de Almada, também como Coordenadora da Licenciatura em Música) e na Academia Nacional Superior de Orquestra e colabora actualmente como docente na Licenciatura em Jazz e Música Moderna da Universidade Lusíada. Tem participado como oradora, por convite, em conferências nacionais e internacionais e publicado artigos em periódicos com arbitragem científica. É autora do livro "Ópera e Caricatura: O Teatro de S. Carlos na obra de Rafael Bordalo Pinheiro".