Prossegue o podcast Glosando pela música da lusofonia, um programa da revista Glosas com transmissão em directo na rádio-café Lusophonica, no Farol de Santa Marta, em Cascais, nos últimos domingos de cada mês.

A glosas.mpmp.pt relembra agora a nona emissão, transmitida a 27 de Junho deste ano, com a convidada Bárbara Carvalho, investigadora da Universidade NOVA de Lisboa / CESEM, Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical. O tema “Cinema mudo português” fez-nos revisitar a música das, entre outras, películas A rosa do adro; Os lobos; Lisboa, crónica anedótica; e Mulheres da Beira (ver alinhamento completo abaixo).

A edição encontra-se agora disponível no canal MixCloud da Lusophonica. Se não teve oportunidade de ouvir, poderá fazê-lo aqui:


 

A rosa do adro
Realização: Georges Pallu,1919
Composição: Armando Leça, 1919
Interpretação: Solistas da Orquestra Metropolitana de Lisboa
José Pereira e Joana Dias (violinos), Joana Nunes (viola), Catarina Gonçalves (violoncelo), Vladimir Kouznetsov (contrabaixo), Francisco Sassetti (piano)

Os lobos
Realização: Rino Lupo, 1923
Composição: António Tomás de Lima, 1925
Interpretação: Nicholas McNair (piano)

filme-concerto Rebirth of a Nation
Criação: DJ Spooky, 2016 [2004]
Interpretação: Kronos Quartet

L’inhumaine
Realização: Marcel L’Herbier, 1924
Composição: Aidje Tafial, 2015
Interpretação: Aidje Tafial (percussão), Christophe Girard (acordeão), Guillaume Latil (violoncelo), Xavier Bornens (trompete), Samuel Mastorakis (vibrafone), François Fuchs (contrabaixo) Olivier Sens (electrónica), Didier Ithursarry (acordeão)

Lisboa, crónica anedótica
Realização: Leitão de Barros, 1930
Composição: Filipe Raposo, 2017
Interpretação: Filipe Raposo (piano)

Mulheres da Beira
Realização: Rino Lupo, 1922
Composição: Nicholas McNair, 2017
Interpretação: Nicholas McNair (piano)

Sobre o autor

Avatar photo

Curso Complementar de Piano no Conservatório Nacional. Licenciatura em Composição pela Escola Superior de Música de Lisboa, onde estudou sob orientação de Sérgio Azevedo e de António Pinho Vargas. Durante um ano, em programa Erasmus, frequentou o Conservatório Nacional Superior de Paris (CNSMDP). Mestre e doutorando em Ciências Musicais pela Universidade NOVA. Membro fundador e Presidente da Direcção do MPMP. Director da revista GLOSAS (números 1-15 e 20-). Distinguido com o 2.º Prémio do Concurso Otto Mayer-Serra (2017) da Universidade da Califórnia, Riverside, e o Prémio Joaquim de Vasconcelos (2019) da Sociedade Portuguesa de Investigação em Música.

Deixe um comentário

O seu endereço de correio electrónico não será publicado.