É notícia certamente surpreendente e estimulante: os famosos cursos internacionais de música promovidos pela Casa de Mateus entre 1978 e 2005 regressam este ano com auspiciosa programação. Se eram já inumeráveis as razões que justificavam a visita ao icónico solar, esta novidade vem reforçar sobremaneira o encantamento que este espaço oferece aos visitantes.

Como apresentado pela Fundação Casa de Mateus, os “cursos, concertos e conferências acontecem no ambiente mágico de um dos mais belos palácios do século XVIII em Portugal”. O cenário idílico, a servir momentos excepcionais de encontro, confraternização, partilha, aprendizagem, deleite, contará este ano com a presença de Maria Cristina Kiehr (canto barroco), Enrico Gatti (violino barroco), Jacques Ogg (cravo), Patxi Montero (viola da gamba, violone e contrabaixo), Helena Marinho (pianoforte e música de câmara), Raquel Cravino (violino barroco e repertório barroco adaptado ao violino moderno), Michio Ohara (correpetição). Integram ainda a equipa lectiva Ricardo Bernardes (ensemble vocal) e António Carrilho (flauta de bisel), respectivamente Director Artístico e Director Pedagógico desta edição. O musicólogo Rui Vieira Nery apresentará a conferência de abertura.

XXVIII Cursos Casa de Mateus

Esta edição dos Cursos Internacionais de Música, a 28.ª, decorrerá entre 13 e 18 de Agosto e esperam-se inscrições até 22 de Junho. Poderão ser obtidas mais informações através do sítio em linha da Fundação Casa de Mateus ou através do endereço electrónico music@casademateus.pt.

Sobre o autor

Avatar photo

Curso Complementar de Piano no Conservatório Nacional. Licenciatura em Composição pela Escola Superior de Música de Lisboa, onde estudou sob orientação de Sérgio Azevedo e de António Pinho Vargas. Durante um ano, em programa Erasmus, frequentou o Conservatório Nacional Superior de Paris (CNSMDP). Mestre e doutorando em Ciências Musicais pela Universidade NOVA. Membro fundador e Presidente da Direcção do MPMP. Director da revista GLOSAS (números 1-15 e 20-). Distinguido com o 2.º Prémio do Concurso Otto Mayer-Serra (2017) da Universidade da Califórnia, Riverside, e o Prémio Joaquim de Vasconcelos (2019) da Sociedade Portuguesa de Investigação em Música.