Entre os dias 16 e 19 de Março, na Cidade de Campinas, São Paulo, realizou-se o III FMCB – Festival de Música Contemporânea Brasileira, um evento realizado pelo Governo do Estado de São Paulo através do ProAc, Programa de Acção Cultural de São Paulo. À semelhança dos anos anteriores, o evento de 2016 foi dedicado a dois compositores brasileiros, sendo o tema desta edição “Vida e Obra de Ronaldo Miranda & Paulo Costa Lima” — este último compositor sendo um dos já entrevistados pela revista Glosas (edição n.º 8, capa Clotilde Rosa).

O evento contou com quatro dias de actividades variadas e em diferentes locais da cidade de Campinas, como o Centro Infantil Boldrini, Sala Umaruama do Instituto CPFL, Auditório do Instituto de Artes da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) e Teatro Municipal José de Castro Mendes. Com cerca de 192 participantes, no III FMCB o público pôde assistir, com entrada livre em todas as iniciativas, a recitais, comunicações orais, mesas redondas e outras apresentações, abrindo-se o evento, no dia 16 de Março,  com uma “Mostra musical beneficente” no Centro Infantil Boldrini, e terminando no dia 19, pelas 21 horas, com um concerto da Orquestra Sinfónica Municipal de Campinas no Teatro Municipal José de Castro Mendes. O III FMCB foi produzido pela Sintonize – Produtora Cultural, e patrocinado pela CPFL Energia, pela Secretaria de Cultura de Campinas e Ministério da Educação, entre outros.

O II Festival de Música Contemporânea Brasileira, realizado em Março de 2015, homenageou os compositores Gilberto Mendes e Edino Krieger, tendo organizado de igual modo comunicações orais, concertos e mesas redondas, seguindo o modelo da primeira edição do evento, realizada em Março de 2014 e que homenageou os compositores Edmundo Villani-Côrtes e Ricardo Tacuchian. Em todas as programações do Festival, entre 2014 e 2016, está evidente a preocupação principal de juntar o trabalho de investigação à prática musical, bem como à homenagem e difusão da obra de compositores da actualidade brasileira e internacional.

 

Sobre o autor

Avatar photo

Isabel Pina é doutoranda e bolseira de doutoramento em Ciências Musicais Históricas na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, interessando-se principalmente pelo estudo da história da música em Portugal nos séculos XIX e XX, música e ideologia, nacionalismo, análise e semiótica musical, e imprensa e crítica musical. Concluiu o mestrado em Ciências Musicais tendo apresentado a dissertação “Neoclassicismo, nacionalismo e latinidade em Luís de Freitas Branco, entre as décadas de 1910 e 1930”. É actualmente voluntária na Biblioteca Nacional de Portugal, tendo estagiado no Museu da Música. Enquanto colaboradora do Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical (CESEM), é membro do Grupo de Teoria Crítica e Comunicação, do SociMus (Grupo de Estudos Avançados em Sociologia da Música), e co-fundadora do Núcleo de Estudos em Música da Imprensa.