Dar-se-á no dia 20 de Maio, pelas 18h30, a apresentação do livro As minhas lições de canto. É a última obra do renomado professor de canto e compositor Gustavo Romanoff Salvini, a qual será agora divulgada, postumamente, em versão completa. A sessão terá lugar no Conservatório de Música do Porto e será dirigida por Tânia Valente, musicóloga responsável pela revisão da obra, a qual incrementou também com uma série de comentários.

 

Gustavo Romanoff Salvini nasceu na Polónia Prussiana, ainda no século XIX, embora os seus estudos e carreira lírica se tenham consolidado já em Itália, país no qual se refugiou, em consequência de perseguições políticas. A sua entrada em Portugal deu-se através do Real Teatro de São João, no Porto, cidade onde acabou por fixar-se e na qual, após um incidente, se especializou na carreira de ensino. Foi neste período que Salvini se deu conta da ausência de uma tradição de canto lírico nacional, dada a forte influência de italianismos, pelo que, encantando-se com a sonoridade e poesia da língua portuguesa, o também compositor decidiu publicar, em 1865, uma compilação de 40 canções, o Romanceiro musical. Passado pouco menos de duas décadas, esta compilação voltou a ser publicada, já como Cancioneiro musical português.

Ainda assim, Salvini almejava mais do que o consolidar do canto em português, projetando também a criação de um estilo de canção de câmara erudita nacional, processo que depreendia uma reforma da música em Portugal. Desta forma, Salvini escreveu também um método de canto inédito, pensado para os cantores portugueses que, até então, não tinham qualquer método técnico rigoroso em vernáculo. As minhas lições de canto configura-se, portanto, como o primeiro método escrito em Portugal, embora a carência de apoios tenha impedido a sua publicação ao longo da vida do autor. Foi só em 1931 que os herdeiros de Salvini, juntamente com Bertino Daciano Guimarães, lançaram parte desta obra, sendo que, nesta primeira versão, se demarca a carência das partituras do popular método Vaccai, uma série de exercícios técnicos criados pelo compositor italiano Niccola Vaccai, exercícios estes nacionalizados por Salvini.

Só em 2020 é que esta obra, ainda inovadora, já que continua a ser dos poucos métodos de canto escritos em português, foi publicada na sua completude, graças à já mencionada investigadora Tânia Valente, a qual é, também ela, cantora. Além do interesse prático, este livro denota, de igual forma, um grande interesse histórico, pois reflete o ensino da música em Portugal e o panorama europeu no final do século XIX. Esta segunda versão, a ser apresentada já no final desta semana, encontra-se sob a alçada da AvA Musical Editores e conta não só com o apoio do Conservatório de Música do Porto, mas também do Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical.

Sobre o autor

Avatar photo

Natural de Guimarães, Ana Sofia Malheiro estudou piano e canto no Conservatório da cidade, no qual teve oportunidade de integrar diversos projectos de foro nacional e internacional. Actualmente, frequenta o terceiro ano da Licenciatura de Ciências Musicais na NOVA-FCSH, percurso pelo qual já foi galardoada com duas Bolsa Santander Futuro, uma Bolsa de Mérito da Câmara de Braga e o prémio NOVA Young Talent Awards, além de uma Bolsa de Iniciação à Investigação, promovida pela FCT e pelo CESEM. Encontra-se a estagiar na Glosas / MPMP.