No ano em que Joaquim Simões da Hora, um dos mais importantes organistas portugueses do século XX, celebraria o 75.º aniversário, e em que se regista também o vigésimo aniversário da sua morte, a Portugaler edita o projecto discográfico Joaquim Simões da Hora in concert, reunindo um conjunto de gravações inéditas presentes no seu espólio e nos arquivos da RDP/ Antena 2.

Este projecto apresenta momentos de três concertos: o primeiro realizado em 1974, na Sé Patriarcal de Lisboa, e os outros dois em 1994; em Setembro, na Sé de Évora, e em Outubro, na Igreja de São Vicente de Fora, em Lisboa, concerto que encerrou o ciclo de órgão dirigido pelo organista no âmbito de Lisboa‘94, Capital Europeia da Cultura. No alinhamento escolhido, além do repertório ibérico, sempre abordado por Simões da Hora, figura igualmente algum repertório de outras latitudes europeias – que, embora não representado nos seus registos conhecidos, era presença habitual nos concertos que apresentava regularmente, sobretudo em Portugal –, bem como duas improvisações, que representam uma faceta da actividade do organista que só agora pode também ser ouvida em disco.

jsh_black7520

Joaquim Simões da Hora ao órgão histórico (1562) da Sé de Évora

O concerto de lançamento deste CD terá lugar na próxima sexta-feira, 9 de Dezembro, pelas 19 horas, no foyer do Salão Nobre do Conservatório Nacional, onde Joaquim Simões da Hora foi professor. A sessão contará com as intervenções de Rui Vieira Nery, António Duarte e Tiago Manuel da Hora. A entrada é livre.

Layout 1

Sobre o autor

Avatar photo

Licenciado em piano pela Escola Superior de Música de Lisboa, na classe de Jorge Moyano, concluiu o Conservatório Nacional com a classificação máxima, tendo aí estudado com Hélder Entrudo e Carla Seixas. Premiado em diversos concursos, apresenta-se em concerto em variadas formações. Estreia regularmente obras de compositores contemporâneos. Gravou para a RTP/Antena 2, TV Brasil e MPMP: editou, em 2020, o CD “La fièvre du temps” em duo com Philippe Marques. É membro fundador do MPMP Património Musical Vivo, dirigindo temporadas e coordenando inúmeras gravações. Termina, actualmente, o mestrado em Empreendedorismo e Estudos da Cultura do ISCTE. Foi director executivo da GLOSAS entre 2017 e 2020.