Foi lançado em Portugal, no dia 1 de Outubro, na Casa Museu-Anastácio Gonçalves, o CD Rabbia, furor, dispetto – Sinfonie ed Arie, gravação da editora Paraty (Paris) pelo grupo Concentus Peninsulae, com direcção de Vasco Negreiros e participação da soprano alemã Monika Mauch, especializada em música antiga. O CD reúne obras do compositor português Jerónimo Francisco de Lima (1741-1822) e pretende explorar principalmente a importância das máquinas teatrais do século XVIII, parte fulcral da representação cénica da época. Através da colaboração de Rosana Orsini Brescia, investigadora de cenografia setecentista, e das réplicas da firma Antiqua Escena de Alcalá de Henares, numa das faixas do álbum é possível ouvir uma tempestade marítima, efeito conseguido com uma máquina que produz sons de ondas, duas de vento e três de trovões (para sons mais distantes e mais próximos), como se poderá ver nas fotografias abaixo reproduzidas.

 

 

Jerónimo Francisco de Lima é ainda um compositor por conhecer, realidade que Vasco Negreiros acredita que “vai mudar com este CD”. Destacando-se principalmente na composição de ópera e música sacra, o compositor estudou no Seminário da Patriarcal de Lisboa e, depois de concluir os seus estudos em Itália, regressa ao Seminário da Patriarcal como organista e maestro.

Concentus Peninsulae é um grupo formado quer por instrumentistas portugueses, quer por espanhóis, dedicados essencialmente à música antiga, e ultimamente à divulgação da obra de Jerónimo Francisco de Lima. É dirigido por Vasco Negreiros, maestro formado em Análise, Teoria e Direcção Coral pela escola PROARTE, no Rio de Janeiro, e em Direcção pela Staatliche Hochschule für Musik de Karlsruhe e pela Staatliche Hochschule für Musik und darstellende Kunst, Heidelberg-Mannheim, Alemanha, tendo realizado o Doutoramento em Música com a dissertação “O filho da velhice – questões de Interpretação” (2005), com orientação de João Pedro Oliveira e co-orientação de Owen Rees. Além de maestro, Vasco Negreiros destaca-se também nas áreas de Educação Musical, Musicologia e Direcção Coral, bem como na composição, tendo apresentado várias obras em concertos de música contemporânea e sido premiado com o 3.º Prémio (o 1.º não foi atribuído) no Concurso Internacional de Composição para Coro Infantil, em Julho de 2009, na Bulgária.

 

Vasco Negreiros, maestro (fotografia de Pablo Suarez)

 

Sobre o autor

Isabel Pina

Isabel Pina é doutoranda e bolseira de doutoramento em Ciências Musicais Históricas na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, interessando-se principalmente pelo estudo da história da música em Portugal nos séculos XIX e XX, música e ideologia, nacionalismo, análise e semiótica musical, e imprensa e crítica musical. Concluiu o mestrado em Ciências Musicais tendo apresentado a dissertação “Neoclassicismo, nacionalismo e latinidade em Luís de Freitas Branco, entre as décadas de 1910 e 1930”. É actualmente voluntária na Biblioteca Nacional de Portugal, tendo estagiado no Museu da Música. Enquanto colaboradora do Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical (CESEM), é membro do Grupo de Teoria Crítica e Comunicação, do SociMus (Grupo de Estudos Avançados em Sociologia da Música), e co-fundadora do Núcleo de Estudos em Música da Imprensa.

Deixe um comentário

O seu endereço de correio electrónico não será publicado.