Os dias levantados, com música de António Pinho Vargas e libreto de Manuel Gusmão, terá apresentação no dia 27 de Junho no Teatro Nacional de São Carlos, às 20h. A obra estreou no mesmo teatro em 1998 e será apresentada amanhã em versão de concerto.

Trata-se de uma obra dedicada ao 25 de Abril de 1974. A ópera tem dois atos: um evoca o Estado Novo, outro evoca a Revolução. Segundo Teresa Cascudo, no seu artigo intitulado “Uma história do 25 de Abril: a ópera Os Dias Levantados, de Manuel Gusmão e António Pinho Vargas”, a relevância da ópera deriva também do facto de “pôr em questão as fronteiras que separam o discurso histórico e o discurso artístico. Por um lado, sobretudo na literatura, temos assistido no âmbito da criação artística a uma reavaliação das possibilidades do uso da história como material, até ao ponto em que esta tendência tem sido, por exemplo, identificada como linha de força do pós-modernismo musical.” Com efeito, o prólogo tem como personagem Walter Benjamin e mais duas figuras peculiares, o Anjo da História e o Anjo Camponês.

O concerto contará com as sopranos Eduarda Melo, Sara Braga Simões e Sílvia Sequeira e com o contratenor Rui Vieira, o tenor Leonel Pinheiro, e os barítonos Jorge Vaz de Carvalho, José Corvelo e Luís Rodrigues. A direção musical é de Pedro Amaral, que rege a Orquestra Sinfónica Portuguesa e o Coro do Teatro Nacional de São Carlos, este preparado pelo maestro Giampaolo Vessella.

Sobre o autor

Avatar photo

Diplomada pela Universidade de São Paulo, onde se licenciou em História, concluindo o mestrado e o doutoramento em Arqueologia e integrando o LARP, Laboratório de Arqueologia Romana Provincial, enquanto Supervisora de Programas e Pesquisas. Foi docente de História da Arte em diversas instituições universitárias e no MASP, Museu de Arte de São Paulo. Realizou o estágio doutoral no Collège de France, Paris, especializando-se depois em Gestão Cultural no SENAC, Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial, e concluindo o mestrado em Empreendedorismo e Estudos da Cultura — Património no ISCTE, Lisboa, tendo neste âmbito sido distinguida com um Prémio de Excelência Académica.