Desde há alguns meses tem sido possível ouvir, no último domingo de cada mês, o novo podcast Glosando pela música da lusofonia, um programa da revista Glosas com transmissão em directo na rádio-café Lusophonica, no Farol de Santa Marta, em Cascais.

A glosas.mpmp.pt relembra agora a terceira emissão, transmitida a 27 de setembro, com o convidado Martim Sousa Tavares,que nos trouxe o mote “Da minha língua vê-se um piano”. Esta sessão ficou marcada pelas interpretações de grandes pianistas nacionais, entre eles Bernardo Sassetti, Mário Laginha, Filipe Raposo e João Paulo Esteves, e dos cantores Carlos do Carmo, Camané, Vitorino e Rui Veloso. Dos vários compositores apresentados, destacam-se Óscar da Silva, Alexandre Rey Colaço, Carlos Ramos, José Afonso e Sérgio Godinho, numa viagem pela música de língua portuguesa (ver alinhamento completo abaixo).

Se não teve oportunidade de ouvir, poderá fazê-lo aqui:

 

 


Licenciado em Ciências Musicais na Universidade Nova de Lisboa, e em Direção de Orquestra na Italian Conducting Academy e no Conservatorio di Musica di Brescia, onde foi aluno de Gilberto Serembe e Umberto Benedetti Michelangeli e se diplomou com nota máxima e laudas, Martim Sousa Tavares obteve em 2018 o Mestrado em Direção de Orquestra na Bienen School of Music, Northwestern University, na classe de Victor Yampolsky, com bolsas Fulbright e Eckstein Foundation, concluindo os estudos com honras académicas. Em Brescia fundou a Orchestra di Maggio e, em Portugal, a Orquestra Sem Fronteiras, com a qual se tem apresentado em dezenas de locais entre Portugal, Espanha e Brasil. É coordenador de projetos educativos do MPMP. É também autor do programa Casa de Partida (Antena 2) e tem sido ouvido enquanto comunicador em diversos contextos.


 

Alinhamento

 

Eduardo Burnay (1877-1926), Fado (do álbum Poetic Scenes)
Óscar da Silva (1870-1958), Nº3 Fado, Páginas Portuguesas (do álbum Poetic Scenes)
Alexandre Rey Colaço (1854-1928), Fados para piano (do álbum Poetic Scenes)

Vasco Dantas, piano

 

Bernardo Sassetti (1970-2012); Mário Laginha (1960-), E depois do Adeus (música original de José Calvário, letra de José Niza, na voz de Paulo de Carvalho); Traz outro amigo também; Grândola Vila Morena (originais de José Afonso) (do álbum Grândolas)
Bernardo Sassetti, piano
Mário Laginha, piano

 

Bernardo Sassetti (1970-2012), Lisboa que amanhece (original de Sérgio Godinho); Talvez por acaso (original de Manuela de Freitas e Carlos Manuel Proença); Porto Sentido (original de Rui Veloso); Cantigas do Maio (original de José Afonso); Retrato (do álbum Carlos do Carmo & Bernardo Sassetti)
Bernardo Sassetti, piano
Carlos do Carmo, voz

 

Mário Laginha (1960-), Fado Barroco; Amor é fogo que arde sem se ver (música original de Alain Oulman com poema de Luís Vaz de Camões); Não venhas tarde (original de Carlos Ramos); Rua da fé (do álbum Aqui está-se sossegado)
Mário Laginha, piano
Camané, voz

 

Filipe Raposo (1979-), João Paulo Esteves (1961-): Fado da prostituta; Meu querido Corto MalteseQueda do império (do álbum Vem devagarinho para a minha beira)
Filipe Raposo, piano
João Paulo Esteves, piano
Vitorino, voz

 

Ricardo Ribeiro (1981-), Canto Franciscano (popular “fado menor” com letra de Ary dos Santos) (do álbum Respeitosa Mente)
João Paulo Esteves, piano
Ricardo Ribeiro, voz

 

Jorge Palma (1950-), Frágil; Na terra dos sonhos (do álbum Jorge Palma Ao Vivo)
Jorge Palma, piano e voz

 

Rui Veloso (1957-), Canção de Nova York

 

Tom Jobim (1927-1994), Chico Buarque (1944-), Piano na Mangueira

Sobre o autor

Avatar photo

Natural de Viana do Castelo, completou o Curso de Instrumentista de Cordas e Tecla na Escola Profissional Artística do Alto Minho. Prosseguiu os seus estudos em Ciências Musicais na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, na Universidade Nova de Lisboa. Encontra-se, actualmente, a concluir o Mestrado em Comunicação, Cultura e Tecnologias da Informação no ISCTE-IUL, Lisboa.