O Museu Nacional da Música juntou-se às celebrações do Dia Internacional dos Museus com várias iniciativas de entrada livre ao longo do dia.

Pela manhã, as portas abriram-se para uma série de visitas orientadas à colecção do Museu — uma das mais ricas do tipo na Europa, compreendendo cerca de mil instrumentos dos séculos XVI a XX, alguns classificados como Tesouros Nacionais. Às 11h30, o historiador João Mendes Pinto guiou os visitantes numa evocação da passagem em 1845 de Franz Liszt por Lisboa, complementada por momentos musicais pelo pianista Philippe Marques. Para os mais novos, decorreram oficinas de construção de instrumentos musicais com materiais reciclados.

Pela tarde, no Auditório do Metropolitano de Lisboa (na estação de Alto dos Moinhos, que acolhe o Museu), decorreu a cerimónia de entrega de prémios referentes à iniciativa “A minha escola adopta um museu, um palácio, um monumento…”. Organizado conjuntamente pela Direcção-Geral do Património Cultural e pela Direcção-Geral de Educação, este concurso mobiliza anualmente cerca de 5000 alunos a nível nacional, continente e regiões autónomas, de todos os níveis de ensino, visando estimular o conhecimento da realidade museológica e patrimonial nacional, através do contacto com os monumentos, museus e palácios que integram a Rede Portuguesa de Museus e consequente sensibilização para a conservação, protecção e valorização do património cultural. Os trabalhos premiados estarão expostos no Museu.

Pelas 17h, a Orquestra Ligeira da Carris, dirigida pelo Maestro Manuel Marcelino, apresentou-se com um repertório de música ligeira, popular, latino-americana, jazz e swing.

A coroar o dia, mais um concerto do ciclo “Um Músico, Um Mecenas”. Desta feita, os convidados foram Levon Mouradian, insigne violoncelista da Orquestra Gulbenkian, e Marina Dellalyan. Pelas 18h, o duo animou o violoncelo Stradivarius Chevillard — Rei de Portugal (1725) e o piano Bechstein (1925) com obras de Schubert, Schumann e Manuel de Falla.

Sobre o autor

Avatar photo

Luís Salgueiro é licenciado em Composição pela Escola Superior de Música de Lisboa. Para além da sua actividade criativa, dedica também a sua energia à preparação de partituras e musicografia, primeiro como 'freelancer' e actualmente como coordenador das actividades editoriais do MPMP, Movimento Patrimonial pela Música Portuguesa.