É já sexta-feira e domingo que ocorrem um dos acontecimentos mais aguardados do ano para a música erudita da lusofonia: a montagem da Trilogia das barcas de Joly Braga Santos no Teatro Nacional de São Carlos. Em dois atos, a ópera adapta os textos de Gil Vicente “Auto da Barca do Inferno” (no primeiro ato), “Auto do Purgatório” e “Auto da Glória”(no segundo ato); o libreto é de Maria José Braga Santos.

Trata-se da quarta montagem da ópera. A primeira ocorreu por encomenda da Fundação Calouste Gulbenkian em 1970, para o XIV Festival Gulbenkian de Música. No São Carlos, a obra foi estreada em 1979, sob a direção do compositor. É uma das obras mais importantes de Joly Braga Santos, figura proeminente do século XX e do qual se comemora o centenário de nascimento este ano, com homenagens em diversas instituições. 

A montagem será semi-encenada, e cantada por um elenco português de cantores reconhecidos: Carla Caramujo, Luís Rodrigues, José Corvelo, Marco Alves dos Santos, João Merino, João Pedro Cabral,  Ricardo Panela, Maria Luísa de Freitas, Sérgio Martins, Cátia Moreso, Diogo Oliveira, André Henriques, Tiago Matos e Susana Gaspar. Além do Coro do Teatro Nacional de São Carlos, regido por Giampaolo Vessella, maestro titular, junta-se à equipa a Orquestra Sinfónica Portuguesa, com Antonio Pirolli como maestro titular.

O espetáculo será registado pelo MPMP, numa parceria com o CESEM, para produção de uma gravação discográfica.

Teatro Nacional de São Carlos, Sala Principal
14 de junho de 2024, 20h
16 de junho de 2024, 16h

Trilogia das barcas
Joly Braga Santos
[versão semi-encenada]

Libreto, Maria José Braga Santos

José Eduardo Gomes, Direção musical
Luca Aprea, Encenação
Fernando Ribeiro, Cenografia
a definir, Desenho de luz
Nuno Velez, Figurinos

Anjo, Carla Caramujo
Diabo, Luís Rodrigues
Companheiro do Diabo, José Corvelo
Fidalgo/Conde, Marco Alves dos Santos
Onzeneiro/Rei, João Merino
Parvo/Bispo, João Pedro Cabral
Sapateiro/Imperador, Ricardo Panela
Florença/Marta Gil, Maria Luísa de Freitas
Frade/Taful/Cardeal, Sérgio Martins
Brízida Vaz/Morte, Cátia Moreso
Corregedor/Arcebispo, Diogo Oliveira
Procurador/Lavrador/Papa, André Henriques
Enforcado/Duque, Tiago Matos
Moça Pastora, Susana Gaspar


Coro do Teatro Nacional de São Carlos
(Giampaolo Vessella, maestro titular)

Orquestra Sinfónica Portuguesa
(Antonio Pirolli, maestro titular)


Nova produção do Teatro Nacional de São Carlos

Breves Palavras com Edward Ayres d’Abreu (Museu Nacional da Música, director)

14 de junho de 2024, 19h30
16 de junho de 2024, 15h30

Sobre o autor

Avatar photo

Diplomada pela Universidade de São Paulo, onde se licenciou em História, concluindo o mestrado e o doutoramento em Arqueologia e integrando o LARP, Laboratório de Arqueologia Romana Provincial, enquanto Supervisora de Programas e Pesquisas. Foi docente de História da Arte em diversas instituições universitárias e no MASP, Museu de Arte de São Paulo. Realizou o estágio doutoral no Collège de France, Paris, especializando-se depois em Gestão Cultural no SENAC, Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial, e concluindo o mestrado em Empreendedorismo e Estudos da Cultura — Património no ISCTE, Lisboa, tendo neste âmbito sido distinguida com um Prémio de Excelência Académica.