No concerto final dos ISCM (International Society for Contemporary Music) World Music Days, que decorreram entre 26 de Setembro e 2 de Outubro em Liubliana, Eslovénia, foi anunciado o Prémio de Jovem Compositor ISCM 2015.

O compositor português Nuno Costa ganhou o prémio com Pater Noster, obra para coro a cappella a oito vozes apresentada no dia 30 de Setembro pelo Coro Filarmónico da Eslovénia, com direcção de Martina Batic. O júri do concurso foi constituído por Alejandro Guarello do Chile, Gudny Gudmundsdottir da Islândia e Glenda Keam da Nova Zelândia e teve como coordenador Stephen Lias, dos Estados Unidos da América. Em resposta à actuação de dia 30 de Setembro, o júri conclui acerca da obra de Nuno Costa:

Pater noster balances effective contrasts with a strong directional line, maintaining intensity from beginning to end.  The clarity of the composer’s ideas, along with the internal logic and individual musical language, shows clear potential to produce a very strong new work for ISCM.

Tendo terminado os seus estudos no Conservatório Real de Antuérpia e na Escola Superior de Música, Artes e Espectáculo do Instituto Politécnico do Porto, Nuno Costa estuda na Academia Nacional de Santa Cecília, em Roma, acompanhando de perto a obra do padre e compositor Joaquim dos Santos. Estreou obras na Bélgica e em Veneza e aguarda-se uma apresentação na Austrália.

Fundada em 1922, a ISCM tem como objectivos o desenvolvimento, disseminação e intercâmbio de música recente de todo o mundo, promovendo a música contemporânea nas suas várias formas e evidenciando os seus contextos e criadores. Um dos principais veículos de promoção da música contemporânea é exactamente o festival anual organizado pela associação, o ISCM World Music Days, evento que já teve lugar em Hong Kong, Lituânia, Suécia, Austrália, Croácia, Bélgica, entre outros. Actualmente, a International Society for Contemporary Music inclui cerca de 60 organizações em 50 países, em todos os continentes.

Sobre o autor

Avatar photo

Isabel Pina é doutoranda e bolseira de doutoramento em Ciências Musicais Históricas na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, interessando-se principalmente pelo estudo da história da música em Portugal nos séculos XIX e XX, música e ideologia, nacionalismo, análise e semiótica musical, e imprensa e crítica musical. Concluiu o mestrado em Ciências Musicais tendo apresentado a dissertação “Neoclassicismo, nacionalismo e latinidade em Luís de Freitas Branco, entre as décadas de 1910 e 1930”. É actualmente voluntária na Biblioteca Nacional de Portugal, tendo estagiado no Museu da Música. Enquanto colaboradora do Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical (CESEM), é membro do Grupo de Teoria Crítica e Comunicação, do SociMus (Grupo de Estudos Avançados em Sociologia da Música), e co-fundadora do Núcleo de Estudos em Música da Imprensa.